Vivo de memórias

Vivo para as memórias, para os momentos que não voltam, constantemente com o passado ao peito, Vivo para os momentos em que ainda sinto o abraço de quem já não está. Respiro a nostalgia do que o tempo me roubou. Estou sempre um passo atrás, onde o presente não existe e só ganha sentido no dia seguinte.Chego sempre tarde para perceber que o amor quer morar em mim. E chego sempre tarde para saber quando o amor acaba. Sinto que a vida me tem passado ao lado.

O futuro incomoda-me e o presente atrapalha-me.
Se não fossem as memórias, que mais nos poderia tornar humanos?

Vivo no passado, no misturar da mente, no primeiro abraço, no primeiro beijo, na primeira conquista, no primeiro sorriso. Vivo onde as coisas se dissolvem umas nas outras. Vivo no aperto, na aflição, na ansiedade, na nostalgia dos lugares, das alturas do ano, dos cheiros que me fazem sentir vivo a cada dia que passa.

Só amanhã saberei quem sou. Hoje sou apenas a saudade de mim, de quem nunca fui.