Vida de adolescente (…)

Estou a ficar farta, a ficar farta disto tudo.

Se é preciso fazer grupos para um trabalho, eu sou das últimas a ser escolhida. Nas aulas de educação física quando é preciso formar equipas sou a última a ser escolhida, sou uma espécie de sobra, uma espécie de coisa que os meus colegas vão passando uns aos outros, até que o ultimo a escolher vai ter que ficar comigo, sou uma espécie de coisa com a qual ninguém quer ficar, só querem ficar comigo quando não há outra hipótese.

Pois foi sempre assim, desde que me lembro, mas esta angústia que existe dentro de mim vai chegar ao fim, sempre achei que havia algo de errado comigo porque nunca tinha tido um namorado, as pessoas gozavam comigo, mas agora eu entendo as pessoas só gozavam comigo porque eu era mais frágil, pronto vou ser sincera, eu ainda sou frágil, mas eu vou tentar mudar isso, porque digam os outros o que disserem eu sei que em mim existe uma menina tímida, mas só até conseguir confiar nos outros, uma menina querida e amorosa com todos, uma menina esperta e muito bonita, mesmo que nem toda a gente consiga ver isso.

E ainda vai chegar o dia em que vai aparecer alguém na minha vida que vai gostar de mim pelo que eu sou, sem eu precisar de mudar nada em mim. Sim, eu já cometi erros tal como qualquer outra pessoa, mas tentei consertá- los e arrependi- me de ter cometido cada um deles.

Se os outros não conseguem ver a menina que se esconde dentro de mim, um dia vai aparecer alguém que vai conseguir fazer com que ela saia do seu casulo e se mostre ao mundo.