Velhos são os trapos!

O envelhecimento é um processo e natural, pelo qual todos nós seres vivos passamos, desde o nosso nascimento até à morte. Todo o ser humano envelhece bem como os seus órgãos e funções vitais com o passar do tempo, por muito que tentem ninguém consegue ser “novo” para sempre.

O critério habitual para definir quando um ser humano é idoso é a idade ou seja, a entrada na terceira idade ocorre quando alguma pessoa completa os 65 anos de idade. A velhice é entendida como a última etapa da vida de uma pessoa e por isso para alguns tem de ser vivida de uma forma positiva, a velhice não é uma doença, é uma fase da vida de qualquer pessoa.

O envelhecimento é também um processo individual porque não acontece da mesma forma, nem ao mesmo tempo e nem ao mesmo ritmo em todas as pessoas pois a herança genética é diferente.

Antigamente os idosos, os “mais velhos”, era visto como fonte de sabedoria, tinham a fama e o papel histórico de educador, e por isso eram muitos respeitados, neles podiam-se encontrar um exemplo de vida, de coragem e de muita sabedoria.

Mas hoje infelizmente, com o passar dos anos, e das mudanças de vida, tudo mudou, hoje o idoso é visto como alguém inválido, triste, doente, feio, pobre e só.

Infelizmente em alguns casos acabam por ser tratados como autênticos “farrapos velhos” que não merecem nada, nem respeito sequer e que mais tarde ou mais cedo acabam por ser abandonados pelas suas próprias famílias.

São cada vez mais os idosos que vivem sozinhos, que trocam as suas casas para residirem em lares, ou pior são abandonados em hospitais e que tristemente morrem sozinhos, acabam com a “fama” de fardos porque muitas famílias não se preocupam nem querem saber do destino dos idosos que deixam sozinhos ao abandono, e isto por vezes acontece porque o problema não é só da velhice mas sim da dependência de que alguns deles precisam para satisfazerem as suas necessidades físicas, básicas e para sobreviverem.

Sim, é verdade os idosos também têm necessidades, eles não só comem e bebem, eles precisam de ter pessoas a conviver com eles, eles sentem-se sozinhos com muita facilidade, e assim como as crianças eles precisam de atenção. Precisam de ajuda, pois eles não podem fazer coisas que antes era normal fazerem, como arrumar a casa, lavar roupa, fazer a comida, lembrarem-se de coisas importantes como os horários dos medicamentos e outras coisas. Infelizmente muitos perdem a memória, ficam inválidos e precisam de ajuda constantemente. E nós, pessoas normais, filhos, netos, bisnetos, vizinhos, devemos ver isto e sentir motivados a oferecer e dar esse apoio e essa ajuda, pois eles merecem, e temos de nos lembrar que um dia vamos ser nós no lugar deles e certamente também íamos gostar que alguém fizesse isso por nós.

Muitos deles lutaram imenso e sacrificaram-se bastante para conseguirem ter e dar uma vida digna aos seus filhos, eles que educavam, trabalhavam, cuidavam e principalmente amavam como mais ninguém podia amar, hoje tenho a certeza que muitos deles só queriam e querem ser ouvidos, compreendidos a amados pelos que lhes são mais queridos, muitos só desejam silenciosamente que alguém os acompanhe nos seus últimos anos de vida tal como eles o fizeram a vida inteira com os seus filhos e netos.

Com mais ou menos idade, mais ou menos capacidade física, visual ou auditiva, toda a gente merece respeito, ninguém é mais ou menos que ninguém, todos temos os mesmos direitos e os idosos também têm, não são menos pessoas por terem mais idade, rugas ou mais dificuldades.

Eles são pessoas que merecem toda a atenção, respeito e amor. E aqueles que souberem aproveitar do convívio com eles terão muito a aprender com seus conselhos e lições de vida, pois estes, apesar de terem as forças estragadas pelos anos, vão continuar a nos ensinar com a atitude humilde de permitir que sejam guiados ou até mesmo ajudados sempre.

Chega de os tratar como “velhos”, porque velhos são os trapos, e muitos de nós ainda não chegamos nem passamos por metade do que eles já passaram para nos acharmos os maiores e superiores a eles.

É claro que temos que fazer algo para mudar isso, não precisa ser muito, se não podemos mudar o conceito do mundo a respeito dos idosos, muito podemos fazer no nosso universo familiar, pois respeito começa em casa, embora que eles realmente necessitem de ajuda, muitas vezes contentam- se só com uma visita ou um telefonema. Os idosos só querem ter alguém para ouvi-los, só isso, nada mais, e vale a pena, pois aprenderemos muito com suas experiências e conselhos, e eles agradecem e merecem todo o respeito e consideração do mundo.

Infelizmente já não tenho os meus avós vivos fisicamente  mas graças a eles e a educação deles e dos meus pais eu respeito e ajudo  os idosos.

PORJoana G.Torres
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...