Uma carta para Deus…

Estamos a poucas semanas do Natal, por incrível que pareça. A vida passa num piscar de olhos e vamos perdendo tempo com mesquinhices e vivendo pouco.

Não cai neve como muitos de nós desejamos, mas as ruas começam a ficar iluminadas e decoradas com símbolos alusivos a esta época e sinceramente, eu adoro!

É fantástico caminhar pelas ruas da nossa cidade, cruzar com as outras pessoas e ver que em tudo há um sentimento característico deste tempo, não sei descreve-lo, mas é maravilhoso.

Contudo nem todos terão luzinhas brilhantes este Natal, como não tiveram antes e como não terão nos próximos – que ouças as nossas preces e Te compadeças desses – há fome, há frio, há pobreza, há crianças abandonadas, e idosos a partilharem esta quadra com a solidão. Pois é. Uma realidade que não se pode contradizer.

E então ao invés de escrever ao Pai Natal (já nem para isso tenho idade), este ano escrevo para Ti, que És de força superior, meu Deus.

É de certa forma estranha estar a escrever-Te, e nem sei bem como começar mas tenho questões que me habitam o pensamento, questões, essas que agora te coloco.

Vives para levantar os que caem, e cuidar dos desamparados, e se o mundo foi criado por Ti, poder-me-ias dizer porque o gato luta com o cão?

E se a nossa fé foi toda depositada nas Tuas mãos, e Tu escreveste o roteiro, porque existem os causadores de problemas?

Porque ainda há no mundo, pessoas que alimentam a sua felicidade a partir da infelicidade dos outros?

Acredito que sentes a nossa dor, será que Te colocas no nosso lugar? Alguma vez terás te sentido faminto? Ou sempre tiveste a barriga cheia?

Alguns morrem e outros magoam em Teu nome, não acho que isso Te deixe orgulhoso, quantas e quantas vezes Te fazemos sentir envergonhado pelas nossas falhas.

Então eu pergunto: Como estás? Como é o sentimento de estares tão alto? És feliz? Nunca choras? – Eu às vezes choro – Eu cometi alguns erros, mas tudo bem, porque todos nós cometemos, mas e se eu perdoar ao meu próximo? Tu perdoarás a mim?

Perdoa estas minhas questões, que possam aos olhos dos demais serem sem sentido, e neste Natal traz amor, paz, alegria, traz luzinhas brilhantes para os nossos lares, e traz um lar brilhante para aqueles que estão lá fora no frio deste Inverno.

Não preciso de nada que me encha apenas de uma felicidade passageira, preciso de algo que me encha o coração, que me faça acreditar que a esperança não se deve perder nem mesmo quando o mundo nos grita em contrário.

Realiza os sonhos daqueles que chamam por Ti, fá-los também acreditar que amanha o sol vai brilhar ainda que por entre as nuvens negras.

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...