Um dia faço a viagem da minha vida…

“Um dia vou sair por aí de mochila as costas, sem destino, mas com a vontade de conhecer o mundo.” – Desde pequena que sempre disse isto, tinha cinco anos da primeira vez, todos se riram. Eu quem nem escrever sabia já queria conhecer o mundo… Eu que me iria perder se saísse de casa sozinha, que tinha medo do cão da vizinha que ladrava como se não existisse amanha, eu que nem de Portugal tinha saído, que nem os continentes conhecia de cor e nem sabia onde ficava a grande França onde morava a Minnie queria sair de casa com a mochila as costas e ver o mundo.

Eles riram, mas eu não liguei, sabia perfeitamente o que queria. Os anos passaram e sempre me mantive firme em relação a esta questão. Queria com cinco anos e ainda hoje quero, quero sair por aí, queria conhecer novas pessoas, culturas, paisagens, cidades, aldeias, terras, mares, vidas. Queria visitar o mundo inteiro, um a um cada continente seria visto pelos meus olhos, foi quando os aprendi  na escola, e os países que dele fazem parte, que percebi que o dinheiro do meu mealheiro não iria chegar.

Seria certamente uma espécie de barco à deriva , não teria um rumo definido, nem um plano meticulosamente traçado. A verdade é que  não teria nada disso, mas teria a coisa mais importante: A vontade! Já com cinco anos eu sabia que sem vontade nada feito, nada de viagens, nada de conhecer o mundo, eu era uma criança inteligente caramba. Eu queria era ir… Iria somente ao rumo da minha vontade, iria onde os meus pés me levassem, iria onde me parecesse melhor, iria onde quisesse…

Iria e talvez vá, iria e quero um dia ir. Iria e não voltava.