Um beijo na testa e uma promessa…

Não sei como escrever uma carta para ti… Nunca encontro as palavras certas para o fazer. Porque de cada vez que penso em colocar por escrito tudo o que te tenho a dizer após tudo o que aconteceu entre nós, esqueço-me de como se escreve…. Acreditas? Não, claro que não. Então talvez sejam as lágrimas que acabem com todas as palavras que te quero pronunciar. Ou no final, talvez a culpa seja tua… Tua por não mereceres nem sequer uma palavra que te diga. Se calhar o melhor é desistir. Desistir de ti. Desistir de nós. Desistir de uma vida a teu lado…

Talvez seja melhor deixar que o vento que entra pelas minhas janelas vá deixando escapar a pouco e pouco a falta que me fazes. Talvez seja essa brisa que vá retirando o cheiro do teu perfume entranhado pelo meu quarto. Ou talvez entre uma ventania que leve com ela todas as recordações espalhadas pelas paredes deste quarto que por tantas ocasiões levaram o meu pensamento até ti. Recordações essas que em tempos foram nossas, as nossas memórias. Memórias essas que terão que ser retiradas a pouco e pouco. Dói ter que desistir. Eu sei que sim. Mas há dúvidas que nos atormentam a alma. Porque eu acordo todos os dias com o sentimento da tua falta, de olhar para o outro lado e perceber que não estás lá, que falta o teu toque, o teu cheiro, o teu olhar, a tua voz… E que grande espaço é aquele sem a tua presença. E tu…, diz-me?! Será que sentes a minha falta? Será que te sufoca o facto de passares dias a fio sem sentir a minha presença, sem que os teus olhos encarem os meus? Sem saber onde estou, o que estou a fazer, com quem estou… Será que consegues acordar todos os dias sem sequer olhar para o telemóvel, esperando uma mensagem minha, mesmo sabendo que nunca a vais receber porque sabes que sou demasiado orgulhosa para isso?

Será que sentes a minha falta quando entras num local que já nos pertenceu em tempos? Numa rua que em tempos sentiu o nosso cheiro e escutou a nossa história…

Com um beijo na testa me deixas. E tu sabes como eu amo beijos na testa. Deixas-me com a promessa de que um dia nos encontraremos. Com a jura de que um dia a nossa história se repetirá, com um final nem sempre feliz, mas um final que será só e apenas nosso…