Tudo tem validade!

Já não sei escrever. Faltam-me as palavras. Falta-me o amor. Falta-me a desgraça. Que entusiasmo têm as palavras se não forem sentidas?

Deixei de sentir. Foi tão de repente, mas tudo desapareceu. Como todos os amores improváveis consumidos pelas mesmas palavras.

Tudo na vida tem validade. E duas bocas também se gastam.

Estou gasto. Estou gasto de amores. Estou gasto de palavras. Qual será a essência desta vida para os que contam os minutos? O tempo é tanto e não chega. As palavras são insuficientes.

Mandem vir a morte. E digam-lhe que já morri. Mandem vir o amor. E digam-lhe que já amei. Mandem vir o tempo. E digam-lhe que já o gastei.

Só o que escrevo me condena.