Tudo passa mas tudo fica…

Tudo passa e nada fica, ouvi dizer…mentira! É tão mentira que chega a ser verdade pela ironia do amor. Nada fica porque uma parte de nós não fica quando tudo passa. Essa parte transforma-se em vazio, transforma-se em nada. Quando alguém (e não qualquer um alguém entenda-se), passa na nossa vida, marca-nos e leva um bocado de nós. Leva com ele os momentos vividos a dois, leva e jamais os vemos. E é aqui que reside a ironia, não os vemos mas sentimo-los e sentimos da pior forma possível, com gigantesca mágoa.

Esses momentos não ficam porque nos são roubados abruptamente, por puro egoísmo, por pura maldade mas ficam as cicatrizes deixadas pelo espaço que ocupavam. Fica a mágoa e não há mágoa maior para o nosso coração apaixonado do que se sentir enganado, abandonado, esmagado por um amor mal-amado ou não amado de todo…Se pelo menos tivessem deixado ficar algo de bom para ser recordado, não teríamos perdido tudo. E se não tivéssemos perdido tudo, já teria valido a pena terem passado.

Não há pior cobardia na área dos amores e desamores do que alguém que não tem intenção de amar fazer alguém apaixonar-se por si. São esses alguéns que são os tais alguéns que nos marcam e arrancam pedaços de nós sem dó nem piedade e não nos deixam nada para além de um coração contaminado. Nada justifica tal atrocidade. Um coração contaminado é um coração que por mais livre que esteja não é assim tão livre. É um coração como o meu…e como o teu, sim, como o teu. O espaço que ficou no meu coração depois do meu alguém é pouco para quem como eu fantasia voltar a amar e mais que isso, sentir-se amada no verdadeiro sentido e intenção dessas palavras. Depois de ti, desamor, ficou quase nada. A maioria do meu amor está contaminado, o meu coração endurecido e mal remendado, a minha alma totalmente consumida pela desilusão que foi a tua passagem. Magoei-me muito e não porque foram muitas as desilusões mas porque a minha desilusão de ti foi enorme, e uma desilusão como essa é mais que suficiente.

Sou o resultado dessa desilusão. Foste o meu alguém que não soube cuidar, que não se importou em amar-me e muito menos pensaste nas consequências de me deixares magoada.

Perdoe-me o que tentou depois de ti, desculpem-me os próximos que poderão tentar, eu nem sempre fui assim, tornaram-me assim. É um medo justificado e o meu comportamento não intencional. Por favor não me levem a mal, eu sou consequência e não a fonte da contaminação. Agora sei, agora compreendo e reconheço-te, aconteceu o mesmo contigo não foi desamor? Somos a consequência da passagem do teu alguém na tua vida…É triste ver meio mundo a sofrer do mesmo, uns porque já foram magoados, outros com medo do resultado dos que foram magoados. É triste o que resta disso, uma praga de corações apaixonados, enganados, abandonados, esmagados por amores mal-amados ou não amados de todo e depois disso, tudo passa mas tudo fica.


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...