Tudo o que tu já sabes

Tudo o que tu já sabes não é nada mais nada menos do que a vida. Mas alguém sabe o que é a vida? Ou sabemos só que ela existe? Que nós existimos sabe-se lá porquê… E que isto só dura uns anos, indefinidos. Que isto não é nada mais que tudo. Tudo o que tu já sabes é o quê? É nada.

Sabes que nasceste para morrer e que nasceste sem decidir. Sabes que vais ter de tomar decisões a vida inteira e que a vida são dois dias. Sabes que toda a gente esconde segredos. Sabes sorrir, chorar, dar gargalhadas, gritar. Sabes amar, (se é que amar é algo que saibamos fazer) abraçar, beijar, sentir. Sabes pensar, refletir, imaginar, filosofar e sonhar (e para que serve a vida se não for para realizar os nossos sonhos?!).  Sabes que precisas de comer, beber e dormir para te manteres bem. Sabes que foi na escola primária que aprendeste a aprender e aprendeste a base de todo o conhecimento que tens agora. Sabes que existem estações do ano, meses, horas. Sabes que nunca haverá amor como o primeiro e que há pessoas insubstituíveis com quem partilhaste momentos inigualáveis. Sabes que não há nada na vida que seja reversível pelo menos em pensamentos. Sabes que é permitido pecar por pensamentos, palavras, omissões e principalmente atos. E sabes que erras mais do que devias (supondo que há um número de erros para se cometer estipulado por nós mesmos), sabes que aprendes lições de vida a cada passo mal dado. Sabes que viver é isso, também é isso. Sabes as letras do alfabeto, os números de zero ao infinito e sabes que tudo está sempre em constante mudança. Sabes dizer que sim, sabes dizer que não, sabes dizer talvez, sabes falar. Bem ou mal, bem e mal.

Sabes que a batida do coração de quem tu gostas te desperta mais e fala mais alto que uma multidão em tempos de revolta. Sabes que há olhares que penetram mais que um orgasmo e que brilham mais que o sol. E gestos e cheiros e sorrisos que te fazem bem pela simplicidade que têm e pelo gosto que lhes tens. Sabes que a arte existe, que as cores existem, as texturas e as obras primas igualmente. Sabes que a beleza atrai e que a atracção é dos fenómenos mais interessantes que podes presenciar e experienciar. Sabes ocupar a cabeça com músicas, com números de telefone e endereços que bastava teres apontado numa folha. Sabes de cor sensações. Sabes ver, olhar. Sabes que há processos que não se mudam, primeiro gatinhaste e depois andaste e tiveste sempre o apoio e a ajuda de alguém… Sabes que viver sozinho é impossível e que tudo tem um tempo e uma hora, e que nada é para sempre e que a palavra ”nunca” devia ser evitada.  E que usando as palavras podes ir mais longe, podes dizer o que tens a dizer antes que seja tarde demais, porque tu sabes que ás vezes o amanhã já é tarde demais. Tu já sabes.

Sabes que o dinheiro não compra tudo… Mas quase. E que este não trazer felicidade é mentira (se é que nós sabemos o que é ser feliz neste mundo mal justificado de humanidade mal humanizada). Sabes que há pessoas que merecem o valor que lhes dás, ou até mais do que o que consegues mostrar e que há pessoas que não mereciam nem metade do tempo que lhes dedicaste. E sabemos que não há pior perda que a perda de tempo. Perda de tempo é perda de vida, e nós sabemos. Sabes que há coisas que o tempo não apaga e outras que o vento leva mais tarde ou mais cedo. Sabes que ter hobbies é produtivo mas também que não fazer nada é um dos prazeres dos quais podes desfrutar. Sabes o estilo que tens, as roupas que gostas, sabes o que os outros pensam de ti não sabendo eles o que és. Sabes que há alturas boas e alturas más e que nenhuma boa altura vem sem uma má e que nenhuma má vem sem uma boa. Sabes que para alcançar objectivos só dependes de ti mesmo e que o impossível só é impossível até acontecer. Sabes que à medida que cresces enfrentas mais dificuldades, que o tempo livre vai acabando e as batalhas aumentando, tal como as desilusões… Mas também as histórias positivas.

Sabes que sabes muitas coisas mas sabes também que tudo o que sabes é tão pouco para quem já viveu. Tudo o que sabes parece-te muito mas o saber tudo é inalcançavel… Afinal ainda ninguém conseguiu dizer o que é a vida e o que é vivê-la.

O tudo é uma questão de sabedoria e a sabedoria é tão relativa… E tudo o que tu já sabes, é quase nada.

PORMarta, Alentejo
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...