Tu não estás a dar o devido valor!

Gostava de saber como tens passado e o que tens feito, mas não o vou perguntar. Gostava de saber quem te tem apoiado nestes tempos. Gostava de saber tanta coisa.

Gostava de saber o que pensas quando ouves o meu nome… Ou sem tu preveres, veres-me na rua ou num sítio qualquer. Gostava mesmo de saber o que vêm à tua cabeça nesses momentos.

Provavelmente eu irei passar despercebido, até me atrevo a dizer, um “desconhecido”. O que eu queria compreender é que como é que se esquece uma pessoa que em tempos passados foi tudo para nós!? Como é que se esquece uma pessoa que teve tanto tempo apoiar-nos, nos tempos mais difíceis e nos mais fáceis? Como consegues desprezar uma pessoa que te deu tudo o que tinha e o que não tinha só para te conseguir ver sorrir? Diz-me como!

Eu se calhar, em certas alturas até podia ter dado um pouco mais de mim. Não te vou esconder isso, mas já te puseste no meu lugar? Eu também sou um ser humano, também os meus tenho problemas!

Talvez o que eu te tinha para dar não foi o suficiente, mas eu sei que te dei sempre o melhor de mim.

Não posso deixar de referir os problemas que tivemos! Que ambos dizíamos que iríamos ultrapassar, e que muitas vezes ultrapassamos! Olhando agora para traz no tempo, eram problemas de putos da escola primária. Ambos agíamos com pouca maturidade, mas será que não podíamos ultrapassar isso agora? Pois se calhar não.

Se calhar tu ainda pensas que eu continuo o mesmo. Mas tenho que te informar que já não sou. Aquele rapaz dócil, meigo e que abria o casaco para te aqueceres no frio já deixou de existir.

Ele até pode ainda amar-te como no primeiro dia em que percebeu isso, mas ele já não está para sofrer mais, por causa de ti. Quando o deixaste… ele sofreu muito. Aconteceram muitas coisas. E tu? Onde estiveste? Pois, não estiveste, ninguém esteve a fazer o teu lugar! Ele ainda acreditava que virias e o ias ocupar… Ele esperou, e esperou… Até que deixou de esperar… E agora? Agora só lhe resta tentar viver um dia de cada vez. E não cometer nenhum erro que lhe possa magoar ainda mais.

Tenho plena consciência que ainda te Amo mesmo muito, e que ainda mexes muito comigo. Por mais que eu tente controlar, não consigo é mais forte do que eu. Vou controlando o meu corpo, para não chegar ao pé de ti e te agarrar. Mas o meu pensamento… Isso é que é o meu calcanhar de Aquiles.

As vezes nas coisas mais simples, como ir a uma loja ou ir a um sitio qualquer, se gostarias do que eu vou comprar ou se gostarias da estar ali comigo de mãos dadas ou abraçados. Mas é a porcaria do meu pensamento.

Se isto é mesmo o fim de tudo o que fomos, tenho que te agradecer, por me teres feito chegar a este ponto. Teres me feito crescer. Teres me posto a escrever estes textos que nunca na minha vida antes isto me passaria pela cabeça. Obrigado por me teres mostrado o meu lado sentimentalista, o meu lado mais vulnerável, E agora posso perceber que o lado mais vulnerável, eras mesmo tu! Podia acontecer-me de tudo, podia acontecer coisas muito graves mas a pior coisa que me aconteceu foi mesmo teres ido embora, sem deixares nada para traz.

Passou já muito tempo desde que foste. Mas eu ainda continuo com a minha certeza que tu, És a Mulher da minha vida! E que ainda continuo a amar-te com tudo o que tenho, e que nunca irei amar mais ninguém assim. Eu consigo sentir isso.

Eu errei. Sim errei. Fiquei mal com os meus erros cometido e o que não cometi. Consegui perdoar-me, mas e tu? Ainda contínuas com o orgulho a tapar-te os olhos é isso? Pois isto são respostas que eu nunca mais irei saber… Não é.

Eu sei que vais achar que estas palavras são vazias… Mas quero que saibas que estas palavras vêm de um coração cheio de sentimentos e que esses sentimentos são por ti! E tu?!? Tu não estás a dar o devido valor.

PORDaniel Silva
Partilhar é cuidar!