” Sobre nós , nunca ninguém vai saber tudo. ”

Esta frase sempre me pareceu uma espécie de cliché, mas já percebi que não o é.

Não existe um nome que possa ser atribuído ou uma descrição exacta que possa ser dada àquilo que eu e tu temos e àquilo que somos mesmo estando separados.

Sei que a escolha de deixar isto foi inteiramente minha e tu viste-te forçado a aprender a seguir a tua vida sem mim, sem nós, acredita que sei como te sentes, sinto-me exactamente da mesma maneira.

Sempre te pressionei um pouco e tu sempre mostras-te pouco empenho num futuro para nós e isso cansou-me, deixou-me sem vontade de continuar a lutar.

Apesar de tudo, por mais tempo que passe e por mais coisas que nos aconteçam ,há sempre algo que nos puxa de volta um pro outro, os sentimentos não morrem e por mais substitutos que coloque no teu lugar,  não há nenhum que me faça esquecer-te.

Tu,  melhor que ninguém sabes que sempre fui curiosa e assim que nos separámos mais do que qualquer coisa, quis saber como ia ser dali pra frente,  passar por ti e olhar-te sem te poder tocar e passar a chamar-te pelo teu nome ao invés de te chamar amor a toda a hora.

Iremos desviar a cara ou olhar-nos fixamente, será que íamos guardar amor ou rancor por tudo o que já vivemos ?

E foi naquele instante em que nos cruzámos que percebi que nunca vou conseguir ver-te apenas passar sem que em mim causes um desejo enorme de correr para os teus braços, de beijar os teus lábios e de olhar fixamente para os teus olhos onde eu em cada canto teu já me perdi e já me encontrei tantas outras vezes.

Quando me dás um abraço, daqueles em que apertamos o mundo, sinto que tudo o que um dia fomos, todos os planos feitos,  todas as ideias e projetos idealizados vão um dia ter um lugar no nosso futuro juntos.

Dou por mim a olhar-te com a cara mais parva do mundo, estou tão perdidamente apaixonada por ti.

Sabes que te amo?  Não? Pois olha , eu cá sei ,sei que te amo tanto que o meu coração chega a doer , eu não sei viver sem ti e não conseguiria mesmo que tentasse.

Custa não te ter por perto, não sentir o teu perfume depois do banho, não dormir e acordar contigo, não ver esses olhinhos de avelã parte-me o coração estar assim, sem ti.

Hoje vi-te passar e quis tudo de volta, sabes?

Quis a nossa cumplicidade,  o nosso amor, quis o teu toque suave, quis o teu toque mais bruto, quis a tua boca a percorrer o meu corpo e a enchê-lo de beijos, quis o teu abraço quente numa das muitas noites frias sem ti, quis as nossas juras mais secretas, as nossas mãos dadas,  os nossos corpos juntos e mais noites daquelas.

Noites longas e suadas, por entre beijos molhados e palmadas,  noites em que me levaste à loucura, noites em que deixávamos de ser eu e tu e passámos a ser um só, a nossa química atingia um nível colossal.

As nossas roupas ficavam pelo chão desde a entrada até ao chão do teu quarto,  os lençóis que momentos antes cobriam a cama passavam a cobrir os nossos corpos nus e cansados.

E eu aqui recordo tudo e penso em ti como em tantos outros dias,  amo-te e só quis que soubesses,e digo-te com toda a certeza do mundo,  sobre nós, nunca ninguém vai saber tudo.