Tu decidiste ir embora…

Hoje dou por mim a pensar em tudo o que supostamente já deveria ter esquecido. Sim, já deveria ter esquecido porque tu também já o fizeste. Já deveria ter esquecido todas as nossas conversas, os nossos almoços, jantares, as vezes em que chamavas por mim com amor, aquele teu olhar que mais ninguém tem, ou a pessoa que tu eras e mais ninguém consegue ser.

Digo eras, porque eras e já não és, definitivamente. Tem demorado. É uma demora que me destrói aos poucos. Esta demora tem roubado todos os dias um pouco de mim. Esta, de tentar aceitar a tua mudança repentina. Dói tanto saber que não vou ter mais aquela mensagem de bom dia, aquele “amo-te”, e para além dessas palavras, as tuas atitudes. Quem é que me vai aturar quando eu tiver naqueles dias “não”? Tu eras o único que tinha a capacidade de o fazer.

Mas não, tu decidiste ir embora, abandonar-me nos momentos mais duros da minha vida. Pensei que era uma ida temporária e que ias voltar para me abraçar e dizer que continuavas a amar-me e que ias ficar comigo, mas ainda hoje, passados alguns meses, não apareceste. Já percebi que não vais voltar e que não vale a pena esperar mais. O sentimento não mudou, apenas a ele se juntou um pouco de raiva, pelo que podíamos ter sido e não fomos por um simples capricho. Por mais que eu queira esperar por ti, como tenho feito, não posso. A vida chama por mim. Não posso continuar mais à espera das tuas indecisões. Não posso esperar mais. Um dia se por acaso decidires voltar, lembra-te que me abandonaste da pior forma possível.

PORMJ
Partilhar é cuidar!