Todos os dias podem ser sexta-feira!!!

O melhor mesmo às vezes é tirar as mãos dos bolsos, agarrar a caixa das arrumações e meter tudo lá dentro. Sem medo, sem vontade de voltar a abrir.

Colocá-la no canto mais escuro do sótão ou junto das outras caixas que vão para o lixo ou para ser doadas. Claro que vai custar. Custa sempre despedir das coisas que em tempos te fizeram feliz. Mas esses tempos não voltam. Aliás, diz para ti mesmo que não queres de volta. Porque raio hás-de querer algo que te fez tão mal? Desapega-te. A hora do adeus nunca é no tempo certo. Ou vem cedo demais ou tarda demasiado.

Vai chegar o dia em que vais acordar e algo em ti vai estar diferente. Pode fazer confusão nos primeiros tempos. Era só o hábito. Era só rotina. Era só vontade.

Podia parecer-te suficiente antes mas agora falta aquilo que tu nunca pediste.

Falta amor, falta confiança, falta paz. Como te atreves a mudar por algo ou por alguém? Como te atreves a perder essa tua essência? Recupera. Recomeça.

Renasce. Muda outra vez se for preciso. Muda até que esteja do teu agrado, não do agrado dos outros. Porque afinal, quantas pessoas mudam por ti?

Tu queres sempre ser aquilo que os outros querem. Mas, e o teu querer onde fica? Já lá vai o tempo em que era proibido falar. Há muito que abandonámos o regime, por isso não tenhas medo de ser senhor do teu nariz. Faz tudo o que quiseres, sem medo. E se tiveres medo faz na mesma. Já deu errado tantas vezes qual é a diferença de dar mais uma?

PORBárbara R
Partilhar é cuidar!