Terrorismo, a 3ª Guerra Mundial

Em primeiro lugar acho importante esclarecer que há vários tipos de terrorismo. Temos o terrorismo aleatório e o terrorismo seletivo que se divide em, religioso, racista, ciberterrorismo, bioterrorismo e nacionalista. E ainda o terrorismo internacional subdividido  no de Estado, nuclear e  narco terrorismo. Os piores portanto, que ao que parece ultrapassam quaisquer barreiras e eliminam por completo a lucidez.

Em segundo lugar o terrorismo para nós, sociedade a desmoronar-se, vitimas do terror e inocentes seres em desordem, terrorismo é crime, sufoco, violência, intensidade, estratégia, guerra, horror, fogo, vandalismo, ódio, extremismo. Terrorismo são mortes, bombas, lágrimas, gritos, crueldades. E porque? Porque quando é preciso tomar posições exatas, claras e precisas, ninguém as toma. Porque há pessoas que não têm mais nada a correr nas veias sem ser maldade. Nos ultimos meses temos assistido ao que será a 3ª Guerra Mundial se os restantes Estados não se impuserem. É um clima de alerta, instabilidade, desconfiança e insegurança que se vive e que de saudavel nada tem.

É tudo culpa da globalização? Pensei que era um fenómeno tão positivo… Há inocentes a fugir do Estado Islamico, evidentemente. Nem todos são bombistas loucos que querem exterminar todos aqueles que não pensam do mesmo modo, todos os que são diferentes deles. O que importa a liberdade de escolha e expressão, isso importa lá. Claro que há crianças a sofrer, mulheres a sofrer, homens a sofrer, claro que sim. Mas então e todos os países que estão a ser ameaçados e invadidos? Essas sociedades que culpa têm? Aliás, sociedades muitas delas em crise têm de aceitar de bom grado refugiados que podem destruir o que é deles? Que recebem mais ajudas e apoios que os nacionais? Há pouco respeito e lógica nessas decisões. Têm de receber de mão beijada refugiados podendo sofrer consequências tão dolorosas quanto a morte por parte de terroristas? Temos mesmo todos de querer ajudar os refugiados? Não me parece! Não referindo até que muitos deles se instalam e aterrorizam a população local, organizando-se e impondo a sua raça/religião. Se nós temos de respeitar o islamismo, estas coisas que precisavam da ajuda de todos os psiquiatras deste mundo, não têm de respeitar as demais religiões? Se é para um é para todos. Se não é para um não é para ninguém. But well, maybe, terrorism has no religion!

Nunca acreditei em ditaduras de extrema direita, muito menos de extrema esquerda mas acredito que em situações de falta de civismo, respeito pela vida, falta de humanidade, há que agarrar o touro pelos cornos, a bem dizer. Afinal na Russia eles nunca mais entraram. Foram ameaçados pelo louco que está no comando e sentiram-se fragilizados. Sublinho que não sou adepta de posições fatalistas mas que Portugal tem brandura mais que suficiente para sofrer um grande golpe de terrorismo sim tem sem dúvidas.

Acrescento apenas que lamento que existam monstros tão grandes assim, capazes de tudo sem excepções. E quem fala nos terroristas, fala de gente que apoia violações, tráfico humano, de orgãos e afins. Podemos pedir paz mas só a vemos a afastar-se. Dá pena, muita pena, ou tristeza. Resta-nos confiar na fé?

Sem nada mais a dizer, com uma certa raiva, termino.

PORMarta, Alentejo
Partilhar é cuidar!