Sou Todas As Cores Do Arco-Íris!!!

Apaixonei-me! Estou de volta à vida, tenho pensado muito ultimamente… sobre tudo não apenas sobre o fato de estar apaixonada, mas sobre o que tem sido de mim.  Eu estava apagada, sem cor, eis que surgiu alguém e coloriu-me, não apenas de vermelho, mas deu-me todas as cores do arco-íris…

Sou vermelha! Pelo fato de ter sido preenchida de sentimentos e emoções. Passei a ser amarela pois agora estou alegre… recuperei o meu brilho, assim como o sol, e todos à minha volta pegam um bronzeado na minha felicidade. O que me leva a ser laranja por ter misturado as duas cores anteriores, mas também por conseguir espontaneidade.

Sou a natureza, o verde… ahh o verde… uma cor de harmonia, de equilíbrio e energia, que nos remete para a paz interior… E o azul tão comum? O azul é a cor da tranquilidade, da segurança, e até mesmo do infinito… Olha o céu! Não há cor melhor para descrever o infinito do que o azul…

Estou envolvida na magia e no mistério que o roxo transmite, esta cor magnifica faz-me libertar das inseguranças que me rodeiam, tendo por sua base o azul e o vermelho, essa combinação parece ser a mais adequada para o meu estado de espírito actual.

Estou em paz comigo própria, sou branca da cor da luz, sou a mistura de todas as cores existentes, e levo comigo não só as coisas boas que elas conseguem ser, mas também sou tudo de mal que elas transmitem.

Assim como as cores, as pessoas são divididas em duas. O seu lado bom, e o seu lado mau. E para entender o que ambas são, temos que saber como lidar com elas, não basta saber o que as cores nos transmitem e pronto, temos que conhecê-las a fundo, e descobrimos que cada uma delas tem as suas características individuais e muitas delas combinam, ou sejam, se relacionam. Assim é com as pessoas, cada uma tem o seu jeito, as suas manias, transmitem-nos coisas boas assim como as más, temos que saber lidar com elas, e entendê-las.

Uma grande particularidade das pessoas é a razão que elas possuem, são seres racionais, que tem a capacidade de analisar os fatos presentes à sua volta, não são previsíveis, assim como tudo que já passou pela história da humanidade, as pessoas também evoluem, tanto numa perspectiva histórica, como individual, não são as mesmas desde que nascem até que morrem. Um recém-nascido tem o brilho que o amarelo nos transmite, tem a pureza da cor branca e a liberdade do azul, por ter infinitos caminhos que pode escolher. Um recém-nascido é uma tela em branco, onde vai se colorindo ao longo do tempo.

E assim como quem lê o que escrevo, sou humana, tenho a minha tela, não em branco, pois hoje sou mulher. Mas quero dar especial atenção ao fato da minha tela ter estado apagada… sem brilho… já tinha muitas cores que a constituíam mas ao longo do tempo não adicionei nada de novo, nenhuma combinação, nenhum contraste, nada… limitei-me a olhar para ela, e esperar o tempo passar, estagnou, não evoluía, apenas estava marcada por experiências vividas, sem sentimentos. Então a cor foi desgastando

Mas recentemente decidi pegar nos pincéis, pôr a minha roupa de artista e modificar essa cena. Foi então que percebi que tenho muita coisa a acrescentar e reflectir, apesar da minha pouca idade considero-me culta (não confundam culta com intelectual, não sou nenhuma mente brilhante em ciências, em nenhum tipo delas).

Sou apenas uma pessoa que já viajou muito, viu muitos filmes, ouviu muitas músicas, conheceu muitas pessoas, sabe de muitas histórias, e acreditem, em cada uma dessas coisas, eu aprendi alguma coisa, de cada uma. De todas as pessoas que eu já conheci, todas me ensinaram alguma coisa, tanto um bebé de 2 anos quanto um idoso de 90.

Considero-me privilegiada por ter a sensibilidade de ver a arte além da estética, tento entender o que transmite, o porquê, o como… Mas ainda assim acho a arte monótona, não entendam errado, ela é monótona no sentido que quando a criamos ela é apenas daquele jeito, não podemos mudá-la, está feita e quando a estudamos a fundo extraímos tudo o que podemos dela. Mas ela não é de todo essa monotonia, porque a arte é imaginação, e a nossa imaginação não tem limites, podemos fazer e criar qualquer coisa, então ela é infinita.

Por isso gosto de admirar pessoas, elas não têm nada de monótono, cada um é como é, e podemos realmente nos esforçar para entendê-las que nunca vamos chegar a um 100%, elas estão em constante mudanças, adições, subtracções, etc… a cada dia que mudamos fazemos alguém ou alguma coisa mudar também. E acredito que todos os dias há uma mudança entre nós que passa despercebida no nosso consciente.

Não há duas pessoas iguais, e duvido que algum dia haverá. Nem mesmo irmãos gêmeos que cresceram juntos desde sempre, moram na mesma casa, com a mesma família, têm exatamente as mesmas experiências, recebem a mesma educação familiar e escolar, eles nunca serão iguais. Cada um deles tem o seu raciocínio, a sua razão, o seu livre-arbítrio, as suas escolhas, os seus gostos, o seu ponto de vista, etc, etc…

Se nem irmãos gêmeos são iguais, o que pensar sobre os casais? Cada um nasceu e cresceu em uma família diferente, cada um teve experiências diferenciadas, tiveram outros valores e princípios… assim como as cores, eles pode ser um contraste ou uma combinação, independentemente do resultado eles podem se dar bem, ou não, sempre será hipotético, só conseguimos descobrir fazendo a experiência.

No meio disto tudo penso que cada pessoa tem o seu brilho, basta sabermos apreciar de ângulos diferentes, cada uma pode ensinar-nos alguma coisa.

Por isso apaixonei-me! Não só pelo sorriso dele, mas pelo que ele me transmitiu, ele tem brilho próprio, tranquilidade, sensibilidade de desfrutar a vida da sua forma mais simples, e acima de tudo é seguro de si mesmo. Tenho vontade de desvendar o roxo que está entre nós, essa mistura de mistério e magia que tem invadido os meus pensamentos. Quero ser todas as cores que precisas, na medida certa. A cor da terra no brilho dos teus olhos está associado à tua simplicidade, também nos conecta à natureza, onde misturado com o meu verde reforça a minha paz interior.

Assim como uma tela pintada, o teu corpo fala, comunica, e interage com o meu subconsciente, mostrando-me novos caminhos a seguir, novas experiências, e um novo eu que eu não sabia que existia dentro de mim.

A partir do momento que te conheci, eu mudei, tu mudaste, não somos mais os mesmos. E porque não deixar estas mudanças nos guiarem a um novo caminho juntos?

PORBlack Star
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...