Sou a amante…

Sim, sou a amante do teu namorado. Sou eu que passo pela cabeça dele quando vocês discutem, sou eu que faço-o o sorrir quando ele chora por caprichos teus. Sou eu a quem chamas “p*t@”, mas lembra-te, não sou eu que vou atrás dele, se estou errada? Talvez… se ele esta errado? Com toda a certeza do mundo…

Foi ele que prometeu-te fidelidade, é ele que tem o dever de te respeitar, e ainda é ele que diz que te ama e depois trai-te, és a princesa dele? Claro, não ponhas dúvidas, mas é comigo que ele perde a cabeça cada vez que me vê, cada vez que está comigo é impossível controlar-se. Ele ama-te? Só ele pode responder a isso… acredito que se ama-te, ele não é completo contigo, mas se não te ama, desculpa dizer mas também estas errada nesta historia…

Ele é assim, hoje esta contigo, e amanhã (ou talvez até hoje mesmo), já esta a convidar-me para sair, mesmo eu recusando inúmeras vezes, acredita que eu recuso, ele insiste, persiste, e diz para não me preocupar com nada…

Eu não estou aqui para pedir-te desculpa de todas as vezes que tive na cama dele e tu mandavas mensagem e ele ignorava, nem muito menos pedir desculpa daquela vez que ele trocou o sábado a noite no sofá da tua casa a ver um filme por um sexo selvagem comigo, no carro dele em algum lugar escondido por ai… Não eu não vou fazer isso porque eu não tenho culpa.

Acredita em mim quando eu digo que tento ajudar-te, pergunto inúmeras vezes por ti, como vocês estão, e porque ele esta comigo, mas simplesmente ele não quer falar sobre isso, talvez não por querer esconder-me as coisas, mas porque quer esquecer-te por momentos. Nunca influenciei ele a acabar a relação contigo, até mesmo disse que EU não queria mais porque é errado.

Perguntas-te porque estou com ele, não é mesmo? Essa é fácil… de alguma maneira eu gosto dele, não aquele gostar de estar perdidamente apaixonada… aquele gostar como quem se preocupa, como quem cuida, e como quem morreria se não tivesse mais notícias dele… apesar de tudo somos amigos e já confiamos muito um no outro e sempre tivemos la quando um de nós precisou.

Agora pensa e diz-me se podes julgar as pessoas sem saber os seus motivos? Bom… sei que não sabemos os motivos dele… mas tu não podes acreditar que ele não gosta de ti só porque ‘’quem ama não trai’’, e nem eu posso acreditar que ele gosta de mim só porque escolhe-me a mim muitas vezes antes de ti…