Sonhando acordada…

Hoje tive um sonho…

Um sonho daqueles que se não fossemos acordar poderia passar perfeitamente pela vida real. Na verdade nunca sonhei algo que me parecesse tão verdadeiro.

Sonhei que tinha encontrado o amor verdadeiro. É verdade, apareceste na minha vida!
Aquelas borboletas na barriga habitavam mesmo em mim, sentia-as como ninguém.
Acordava a pensar em ti e deitava-me com o mesmo pensamento…sim era um sonho, mas parecia ter durado uma eternidade…uma vida inteira para ser sincera.

No sonho aparecias na minha vida do nada. E desse nada tornavas-te tudo!
Aquela timidez a virar cumplicidade. A amizade a virar amor. Os olhares a virarem sorrisos sinceros e apaixonados.

E depois…

Depois tudo continuou assim…As coisas foram crescendo nesse sonho de uma maneira única. Só podia ser mesmo amor, sabes?

Não tinha como não o ser pela maneira como me estava a sentir. Aposto que quem me estivesse a ver dormir iria encontrar um sorriso tolo perdido na minha face, que nada mais era do que um sorriso de quem estaria apaixonada e feliz.

Sentia os teus beijos mesmo que não fossem verdadeiros, as tuas festas mesmo que não me tocasses, o teu sorriso mesmo que não o visse…

Tudo parecia tão real…

Pediste-me em casamento. Sim isso aconteceu no meu sonho! Tinhas um anel lindo para me oferecer, colocaste-o no meu dedo assim que disse o “SIM”.

Foi bonito…bonito demais para o descrever, tal como o dia do casamento.
Sabes, era capaz de jurar que senti o bater do teu coração quando me abracei a ti depois de sairmos da igreja com as alianças no dedo.

É parvoíce eu sei…mas toda a gente já teve um sonho assim…um sonho que nos deixou em êxtase de tanta felicidade.

O que é certo é que parecia que a noite nunca mais tinha fim. E que eu não iria acordar do sonho tão depressa. E ainda bem não é? Sonhos destes não se desperdiçam assim…
O amor continuou, a paixão só aumentou e a felicidade veio para ficar.

Depois do casamento veio a casa nova, uma vida a dois e depois os filhos. Sim, que crianças bonitas e rebeldes, será que saíam a ti? Eu era eu que estava a imaginá-las perfeitas demais? A Maria Inês aposto que era como tu. A primeira criança da casa pronta para enfrentar o mundo sem medos.
Como desejei que não fosse um sonho. Como eu desejei não acordar nunca mais.

Envelhecemos juntos. Rodeados de netos e felicidade.

E do nada as coisas começaram a piorar…

Algum som agudo começou a meter-se neste mundo perfeito. Um som agudo que só aumentava e me estava a baralhar…um som agudo chamado despertador.
É…acordou-me da minha vida de sonho. Não é justo!

Mas sabes o melhor disso tudo?

Que bom que foi acordar do sonho, sentir-te ao meu lado na cama e saber que ainda temos aquilo tudo pela frente. Amo-te.

PORSara Cibrão
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...