Somos jovens entre nós!

Somos jovens entre nós, velhos eternamente na saudade da idade perdida, fui rico na tua felicidade, hoje somente adormecido no teu colo.

A minha sombra, que permanece sobre o teu esboço, atrai ventanias do meu sopro sufocado, espalha imensidões de neblinas na manhã, onde teus olhos se abrem.

Se fosses tão velha assim como dizes, de que me servia a tua juventude?

Sobre pequenas quadras, velhas prosas e poemas encantados, espalha-se na razão do meu saber o pensamento que te encanta.

Sofreste por vezes sem querer, por culpa minha ou incerteza tua, mas ainda te amo, te quero e te venero!