Sobre o dia dos namorados…

Dia dos namorados é tipo um dia que deixa a gente meio reflexivo (falo por mim). Não que seja diferente de todos os outros dias do ano. Na verdade se trata mais de um dia de comemoração criado para que o comércio de flores e perfumes possa lucrar. Mas e dai? É divertido ganhar flores, dar presentes e preparar jantares românticos a luz de velas enquanto se usa uma lingerie sexy por baixo daquele vestidinho especial.

Sempre me perguntaram por que a maioria dos meus relacionamentos eram com caras não tão lindos (tá, confesso, beleza não é critério para mim). Geralmente somos atraídos primeiramente pela aparência, não é verdade? Nem sempre. O fato aqui é que, assim como alguns caras gostam de conquistar, algumas mulheres gostam de ser conquistadas. A verdade é que eu tenho uma grande retração por caras ricos e bonitos, porque geralmente são uns otários egocêntricos (sem generalizar, por favor, alguns se salvam, mas geralmente esses tem namoradas).

Me perguntei hoje como o mundo se importa primeiramente com aparência (mesmo que a maioria diga que não). Quando foi que deixamos de estar com quem realmente se importa com nós, quem não mede esforços para estar conosco para ficar com quem calcula o preço da gasolina pra ir te buscar em casa? Quando foi que trocamos as flores pelas críticas de alguém que não nos acha perfeitos?

Porque o mundo é de aparências e preferimos estar com o cara rico, bonito e crítico do que com o cara gente boa, engraçado que nos acha perfeitamente incríveis.

Não que eu seja uma mal amada, nem nada do tipo. É só a minha explicação para as pessoas que me perguntam como eu posso não me apaixonar por caras lindos e escrotos. Sorte de quem encontra um amor bonito e tranquilo. Amor não se implora e não faz sentir dor. Amor é leve, é lindo e nos faz sorrir a toa.