Sobre não sentir!

Você conhece pessoas sistematicamente e suas amigas não entendem como você é capaz de dispensar tantos partidos. Elas dizem que você escolhe demais e vai acabar ficando pra “titia”. Você explica que não deseja se envolver no momento e todo aquele blá blá blá de liberdade que só os solteiros possuem. Embora tu mintas para elas, a verdade tu sabes bem: você deixou de sentir. É como se você estivesse anestesiada sentimentalmente. Ninguém lhe chama atenção. Você simplesmente não consegue se interessar pelas pessoas que estão aparecendo. Logo você, que se apaixonava no ônibus, na fila do pão, em festa de criança, lembra daquela vez no circo? Pois é, você era o Pelé das paixões, naquele ritmo chegaria ao número mil fácil.

Chegaria se não fosse o dono daqueles lindos olhos verdes aparecer e fazer terra arrasada com teu coração. Os danos que ele causou são irreparáveis, as cicatrizes relembram o que você só deseja esquecer, as sequelas mudaram quem você era de quem você é. Enquanto você achava estar nas nuvens, na realidade estava caindo. Despencando em queda livre sem paraquedas. Essa queda marcou tua vida, tanto que podemos divida-la entre antes e depois dela. A menina ingênua e sonhadora se tornou uma mulher realista e racional, um iceberg sentimental.

A culpa não é tua por sorrir pra ele naquela noite, as coisas simplesmente acontecem, fogem do nosso controle. Se você soubesse, é claro que não se envolveria com ele, mas não sabia. Se eu pudesse te impediria de conhecer todos os babacas que cruzarão tua vida. Sim, existem outros, e estou cruzando os dedos para que eles saiam do teu caminho. Pois sei que você merece mais motivos para sorrir do que chorar. E, se for chorar, que seja de tanto rir em uma dessas guerras de cócegas.

Você jurou que herdaria o sobrenome dele e no fim herdou cicatrizes que te fazem lembrar dum passado que teima em se fazer presente. Você lembra que ao partir ele levou junto teu coração e deixou um vazio em teu peito. Apesar de ser um tremendo idiota, ele te deixou uma lição valiosa: não dependa de ninguém. Não coloque tua vida nas mãos de outra pessoa. Sabe esse vazio? Saibas que depende somente de ti preenche-lo. Portanto, não procure nos outros um amor que te complete. Preencha esse vazio com amor, amor próprio. O preencha de si mesma. E, quando estiver completa, a vida lhe brindará com alguém que a faça transbordar.

Não sei te dizer ao certo quando, mas esse alguém fará com que as borboletas voltem ao teu estômago. Fará com que teu coração palpite só de ouvir o nome dele. Você voltará a sentir, tão certo como 1 + 1 são 2. Como eu sei? Eu voltei. E posso te afirmar que é a melhor sensação do mundo. Você amará e será amada. Voltará a acreditar que o para sempre é para sempre. Você será um misto daquela velha menina ingênua e sonhadora com a mulher de hoje, realista e decidida sentimentalmente. Então, vê se arranca logo essa plaquinha do teu peito que diz “aluga-se” e se apropria logo desse espaço, ele é teu, sempre foi.