Sinto Falta de Ti, Meu Bem…

Sinto falta do teu abraço, o teu abraço, aquele abraço, o último abraço, se eu imaginasse que aquele seria o último eu ter-te-ia abraçado tão forte…

Sinto falta da proteção que me transmitias, da segurança que eu sentia quando seguravas as minhas mãos trémulas.

Sinto falta da tua força que me ajudava a prosseguir, daquela força inabalável.

Sinto falta dos teus conselhos que eu nunca quis escutar por casmurrice, por mera casmurrice.

Sinto falta dos teus beijos, da forma com que me beijavas, do gosto da tua boca.

Sinto falta dos teus carinhos, das tuas mãos a ajeitarem-me o cabelo e acariciarem-me as faces coradas.

Sinto falta das tuas palavras, de comentares o dia a dia, e contares as tuas mil e uma aventuras.

Sinto falta de ouvir-te cantar com aquela voz tão sem explicação (por mais adjetivos que procure nenhum é capaz de escrever a tua voz), as músicas que me cantavas pela madrugada fora, as músicas que me cantavas ao ouvido.

Sinto falta de ouvir-te assobiar aquelas canções sertanejas, porque nunca antes encontrara alguém que me completasse tão bem até nos gostos musicais.

Sinto falta das tuas palhaçadas para me veres sorrir quando eu teimava em amarrar a cara.

Sinto falta do teu jeito ciumento, e da forma como me provocavas ciúmes, de ver-te olhar para a rapariga gira do lado e dar-te uma pancada no braço.

Sinto falta do teu jeito de caminhar pausado, descontraído, dread, boa vibe.

Sinto falta do teu jeito de dançar tão animado, de ver-te pegar o copo e o cigarro, do teu nervosismo na falta do tabaco, da forma como me agarravas pela cintura e me beijavas a face e me fazias sentir tua.

Sinto falta do toque das tuas mãos selvagem e simultaneamente melífluo!

Sinto falta do teu cheiro que embriagava o meu coração! Sinto falta dos teus olhos de cristal a perfurarem os meus!

Sinto falta do teu calor a aquecer o meu corpo! Sinto falta das nossas mãos entrelaçadas e das promessas! Sinto falta de dormir no teu colo! Sinto falta de ver o por do sol com a cabeça pousada sobre o teu peito! Sinto falta de amanhecer ao teu lado! Sinto falta de discutir contigo e amuada contar os carros cinzentos que passavam em frente à janela.

Sinto falta da nossa história! Sinto falta do teu amor! Sinto falta de ti, meu bem!