Será que ainda olhas por mim?

Eu nem acredito que hoje é o teu dia e eu não posso saltar para as tuas costas e dizer “parabéns meu parvo amo-te para sempre” eu continuo a querer voltar a abraçar-te uma última vez.

Quero poder dizer que me eras muito e que mesmo não estando ao pé de ti, que te continuo a amar. Ensinaste-me muito,escusado será dizer que sinto a tua falta, porque sinto. Sinto tanto. Quero voltar a ver-te uma última vez e dizer tudo o que não disse e ficou por dizer. já passou alguns meses que tu partiste sem mim e eu não me esqueço do dia em que te vi pela última vez.

Gosto tanto de ti, Sem ti,eu estraguei-me,Já nada é como era. Agora já nada é igual. Sinto a tua falta, ai se sinto. Gostava que me dissesses “vai tudo correr bem, querida. Eu tenho muito orgulho em ti.” uma última vez. Lembro-me de ti e da saudade que deixaste em mim.

Partiste muito cedo ou pelo menos, muito cedo para mim. Não estava preparada e ainda não estou. És o melhor, vais sempre ser. Desculpa-me por nunca te ter ido visitar onde estás sepultado. A verdade é que não consigo. Não me sinto bem nesses ambientes. Espero que me compreendas, mas tu não voltas partiste para outro mundo deixaste-me aqui bem no fundo.

Espero que sejas a minha estrela da sorte, porque o és e sempre serás. Será que ainda olhas por mim? Sinto-me tão perdida, aqui. e tu ainda deixas acumular esta saudade a meu lado, como se tivesses medo que eu me venha a esquecer de ti um dia. Não vou esquecer. Disso podes ter a certeza. E estas saudades crescem cada vez mais ao meu lado. Um crescimento sem fim. Pedir-te-ia para voltares, mas como não posso, peço apenas para que nunca deixes de olhar por mim.

Escrever para ti é aliviante, mas ao mesmo tempo é desesperante. Escrevo-te estes textos para tentar aliviar o peso do mundo nas minhas costas. Será que os lês? Gosto de pensar que sim, e que me tens debaixo de olho. Fingir que ando bem já é rotina, só não quero que se preocupem comigo. Porque sei que mal me perguntem eu desabo em lágrimas. Já não há lágrimas para chorar, tenho o coração cheio de tudo e mais alguma coisa. Porque é que a vida é um comboio certo sem atrasos? Eu estou atrasada e sinto-me a correr constantemente atrás dela, mas ela cada vez foge mais e mais depressa.

Preciso de ti, mais do que nunca. Não estás cá comigo, estou sozinha. Volta, por favor. Sinto-me tão perdida, mas não há nada para encontrar. e eu preciso de ti, aqui, mais do que alguma vez já precisei. Gostava de te puder ver nem que fosse apenas mais uma vez. As estrelas já não brilham, o sol já não brilha e muito menos a lua. Pelo menos para mim. Já não há esperança para mim. Não há comboio da vida, nem as estrelas, o sol e a lua brilham para mim. Estou num buraco sem fundo e cada vez caio mais e mais. Não há luz, não há o brilho, não há o chão que me ampare a queda e não há sítio por onde sair desta escuridão que é a minha vida.

Não estou preparada para a tua partida, e tu que já partiste Quero voltar a conversar contigo e sentir os teus braços fortes que me seguravam. Lembro-me da tua voz. Um som que espero nunca vir a esquecer. As memórias ficaram todas, só tu é que não. É tão difícil viver sem ti. É tão difícil sentir a tua falta. O tempo não me cura e tu és de longe a melhor cura. Quero ir ao teu escritório e encontrar-te a ler o jornal. Quero ler o jornal, ao teu colo, mais uma vez. Mas o jornal contigo já não o posso ler. Andar de baloiço contigo já não posso andar, e viver sem ti é um desafio que me mata de dia para dia.

PORVanessa Tusto
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...