Ser irmã!

O que é ser irmã?

Não sei sequer se isso se pode definir mas por vezes sinto que é um papel difícil. Chega mesmo a ser, em certos assuntos e determinados momentos, mais complicado do que parece.

Ter irmãos, especialmente mais novos, é um enorme misto de emoções. É saber pegar nos momentos de zanga e discussões e embrulhá-los num manto de carinho e proteção, é ter acessos de raiva e quase de luta livre e ao mesmo tempo chorar se os magoamos, é querer dar-lhe ordens e ao mesmo tempo deixá-los domar os nossos corações, é saber guardar os mais misteriosos segredos e fazer “queixinhas” nas horas convenientes, é um autêntico reboliço de sentimentos e ações.

Ser irmã é saber de tudo primeiro que o resto da família, é ouvir os maiores disparates mas também os desabafos das primeiras desilusões amorosas, é ver nos irmãos os nossos melhores amigos mas custar admitir só para não dar o braço a torcer, é saber que vais ter toda a lealdade por parte deles e sofrer com pequenas picardias, é ter inveja dos seus traços mais belos e das suas maiores qualidades mas nunca concordar em elogiá-los, é proteger-nos mutuamente dos pais negociando “se tu contas isto, eu conto aquilo”.

Ter irmãos é vê-los crescer e vencerem as suas próprias metas e encher-nos de um gigantesco orgulho, é deixá-los errar para que aprendam e ajudá-los a levantar das suas quedas, é sonhar com sobrinhos a encher-nos a casa e o coração.

Não sei se há possível definição de irmã, mas se há, deve ser um livro enorme, uma verdadeira coleção deles.

E não precisam de ser irmãos de sangue, com os de coração acontece exatamente o mesmo. Sentimos a mesma quantidade de amor e necessidade de proteger, sentimos a mesma sensação de termos alguém que necessita dos nossos cuidados, sentimos o mesmo orgulho em os ter na nossa vida, em os ver crescer.

Quando se chama de irmão a um amigo sabemos a partir desse momento que o levaremos para a vida, que somos capazes de tudo por ele, que lutariamos por ele com as mesmas forças que lutamos por irmãos de sangue, que os seus filhos serão nossos sobrinhos também.

Até os irmãos que o nosso coração adota formam laços inquebráveis e extremamente fortes, não são sangue do nosso sangue mas se precisarem dele, dar-lho-íamos.

Irmãos, de sangue ou não, são a nossa maior alegria, faremos sempre tudo o que estiver ao nosso alcance por eles e ai de quem os magoar!

Ser irmã é ter nos irmãos o nosso primeiro amor. É ter com quem partilhar o quarto, a vida.