Ser adolescente…

As vezes gostava de ir para um sitio bem alto e gritar, mas depois lembro-me que sou adolescente e não posso.

Não posso porque para os adultos, nós, adolescentes, não sofremos nem temos problemas e a nossa obrigação é so estudar e ser boa filha/o.

Mas não é bem assim.

Os adolescentes também sofrem e muitos sofrem mais do que adultos. Sofremos por pressão escolar porque temos que dar sempre o nosso melhor se queremos ter um bom futuro, sofremos porque temos exames que decidem a nossa vida, sofremos por amizades que por vezes nos enganam, sofremos pelas mudanças muitas das vezes indesejadas do nosso corpo, sofremos porque queremos ser uma Sara Sampaio ou um Brad Pitt e não conseguimos,  sofremos também por amor. O típico amor da adolescência que qualquer pessoa tem e nunca esquece. Sofremos como gente adulta, mas ninguém o vê.

Sofremos em silêncio para que ninguém tenha que nos perguntar o que temos ou o que se anda a passar connosco. Sofremos por dentro sem dar a notar, e todos os dias temos que ir para a escola com um sorriso na cara e ser simpática/o para toda a gente. Preferimos sofrer em silencio porque sabemos que ninguém nos vai entender.

Mas e a noite? Quando chegamos a casa, quando não temos mais que ser alguém que na verdade não somos, quando desabamos, quando podemos estar sozinhos no quarto e realmente perceber como andamos e como somos fortes por conseguir aguentar tudo.

Ser adolescente não é só estudar, não é só fazer amigos, não é só viver.

Ser adolescente é ter que ser forte e aguentar tudo sem reclamar, porque afinal somos ainda adolescentes para sofrermos.

Antes eu queria crescer, ser uma adolescente, viver aquela vida de escola como via na televisão, ter aqueles amores de verão como se vê nos filmes, sair com os amigos, ir as festas… Antes eu pensava que ser adolescente era simples, divertido e a melhor fase da nossa vida, mas estava enganada. A melhor fase da nossa vida é quando somos crianças, quando não temos preocupações, quando temos a culpa mas ninguém se importa porque somos crianças, era quando íamos para a escola e tínhamos os intervalos maiores que as aulas, era quando a nossa maior preocupação era chegar a casa para irmos brincar. Era acordar cedo so para ligar a televisão e assistir desenhos animados.

No final de tudo ser adolescente não presta, e a minha mãe sempre teve razão em dizer para não ter pressa para crescer.

PORSusana Lage
Partilhar é cuidar!