Rosa Imperfeita…

Tudo começou quando eu quis crescer depressa de mais e, ingenuamente, sempre pensei que isso fosse o melhor para mim, mas enganei-me amargamente.

Quando tudo começou eu acreditei que seria como se um conto de fadas. Pensei que seria feliz para o resto da vida se te tivesse ao meu lado, mas enganei-me.

A realidade é que a vida é feita de escolhas e eu deixei tudo o resto para ficar contigo. Abandonei toda a gente e deixei de visitar os lugares onde melhor me sentia e onde passei grande parte da minha vida feliz, por ti. Deixei de visitar os cafés onde, antes, me sentava numa mesa a beber uma cola e a falar com os amigos que, hoje, abandonei. Tornei-me uma escrava de ti mesmo e nunca me importei até ao dia em que me maltrataste, fisicamente.

Eu deixei de me importar quando tu me maltratavas psicologicamente. Quando me chamavas todas aquelas coisas, todos aqueles nomes e quando dizias que eu não era a mulher certa. Como não poderia sê-lo? Eu deixei a minha vida toda, por ti. Deixei de poder respirar o ar livre para prender as minhas mãos entre os teus pés. Mas mesmo assim, não me importei.

Obrigaste-me a ficar longe de tudo e de todos.

Fizeste-me acreditar no amor, na esperança, na paz. Sim, fizeste, nos primeiros meses. E é ai que tudo é perfeito. Afinal só se conhece realmente uma pessoa depois de anos e anos junto com elas e eu nem precisei disso, não precisei de anos e anos, apenas precisei de te dizer que “sim”, junto ao altar.

Pensei que fosse tudo continuar a ser perfeito, que tal como o meu vestido branco, que fosse haver paz entre nós, como havia anteriormente.

Tu prometeste-me mundo. Lutaste até ao último segundo por mim, e mesmo assim… Olha no homem em que te tornaste.

Esses teus ciúmes… Esses teus ciúmes transformaram-te no monstro que hoje és. No monstro que me agrediu durante anos e anos.

Eu lembro-me bem das cicatrizes.

Lembro-me dos olhos negros.

Lembro da marca que me fizeste no braço com a inicial do teu nome, mas, como me poderia esquecer? É como se uma cicatriz em que, infelizmente, não posso apagar. Está queimada na minha pele. Na pele que dantes tocavas e dizias ser tão suave, hoje… É uma pele com montes de cicatrizes, nódoas negras e… Ferida. Não falando do meu cabelo que era brilhante, cheiroso e enorme e que agora… Sempre que penteio me cai. Cai de tantas vezes que tu o puxas-te.

Mesmo com a minha cara, tenho que ter cuidados especiais caso queira sair de casa, caso tu deixes. Tenho que usar montes de base e outras maquilhagens apenas para disfarçar o que ninguém pode saber.

Meto aquele sorriso falso como quem pede ajuda mas, infelizmente, ninguém o percebe. Pois quem o poderia saber já não está comigo, ele obrigou-me a afastar de tudo e todos e eu… Fui uma boneca nas mãos dele. E só o deixei de ser, quando finalmente decidi arriscar. Ou perdia a minha vida, ou a recomeçava, e eu já não tinha nada a perder!

Pedi ajuda à minha mãe.

Não foi nada fácil conseguir chegar a minha voz até ela. Mas, mais difícil ainda foi contar-lhe como tem sido a minha vida ao lado de alguém que ela admirava e tratava como um filho, que nunca teve. Ela ajudou-me, em tudo o que pode, e fez com que a minha voz chegasse a todo o mundo. Mãe é mãe, certo?

Conseguimos meter aquele animal na cadeia. Custou-me, custou-me imenso porque apesar de tudo, habituei-me a estar com ele. Mesmo sendo mal tratada dia após dia, eu não me posso esquecer das vezes em que ele me ajudou, em que ele me deu amor e a cima de tudo, nos tempos em que ele me demonstrava esse tal amor incontrolável, mas no final, o mais incontrolável eram os seus punhos na minha cara, no meu corpo. Era o meu sangue e as minhas lágrimas a escorrer-me, mas ele nem sequer se importava. Apenas me querias ver a sofrer.

Eu deixei esta situação expandir-se durante dois anos.

A primeira vez que me bateu, eu pensei que nunca mais iria acontecer. Ele disse que foi apenas efeito do álcool, e que… Tudo seria esquecido. Que meteríamos uma página em branco no assunto e que tudo iria passar e que nós iríamos ficar mais unidos. Mais do que alguma vez estivemos. E, esse foi o meu problema, acreditar nele.

A verdade é, por muito que amemos ou por muito que nos esforcemos para ter a tal relação “conto de fadas” TU tens que vir SEMPRE em primeiro lugar. A cima de tudo e de todos!

Não faças como eu, não aguentes esta dor nem por um dia, por favor.

Acredita que a pessoa que tu vais querer ao lado é alguém que te irá fazer bem!

Que irá pensar em ti mal acorde.

Que te vai dar todo o amor possível e que irá mostrar a tudo e todos esse tal amor, sem qualquer problema e sem medos.

Que, não te irá mimar todos os dias, mas que quando te mimar irá valer por todas as outras vezes que ele esquecer da vossa data de namoro ou que irá esquecer que tu estás lá com ele, mesmo nos maus momentos.

A agressão pode ser física ou psicológica, mas a tua atitude pode mudar essa história!

DENUNCIA QUEM TE FAZ MAL!

(relatos de uma ex-vitima de violência doméstica)