Quero-te!

Quero-te.
Quantas vezes posso dizer que te quero se te quero vezes sem conta?

Quero-te! Quero tudo de ti, em mim, e comigo. Agora. E todos os dias e quem sabe todos os segundos. Mas, porra, que te quero mesmo!

Quero-te a ti, aos teus olhos vidrados em mim, aos teus braços a agarrar-me e a puxar-me contra ti. Quero-te a ti e às tuas mãos entrelaçadas nas minhas, ao teu sorriso sincero pela razão que sou eu, que somos nós.

Quero-te a ti e a tudo o que é teu, e não me chames de egoísta, mas quero-te só para mim. E quero-te tanto.

Quero-te a ti e a todas as nossas horas a ver filmes, a rir, a passear, a brincar, a sermos crianças num amor tão genuíno.

Quero-te a ti e, mais que isso, quero-nos a nós. Quero-nos juntos, e fazes-me tão feliz que te quero mais um pouco.

Quero fazer amor contigo. Na cama e no coração, para que não nos falte amor em lado nenhum. E quero-te, mais uma vez e para sempre.