Quem és tu Sentimento?!

Será que estou mesmo a sentir-te? Estás aí mesmo, vieste para ficar ou queres só passar umas boas férias neste coração? Peço-te que não me iludas nem desiludas, sentimento! Sim sentimento, desconheço o teu verdadeiro nome! Não precisas de te apresentar, está bem assim, sem apresentações. Quando conheci o autor deste sentimento, também não nos apresentamos no início da conversa. Portanto vai ser assim, sem começo oficial e quanto ao final, damos-lhe uma continuação.

Sinto-me a voar num céu azul e imaculado onde talvez se avistem uma nuvem aqui e acolá, mas que certamente passarei entre cada uma delas sem dar por isso. Sinto-me como se tudo há minha volta fosse uma daquelas paisagens bonitas ou ainda mais bonitas que avistei quando fiz aqueles deliciosos 85km até ti, autor deste sentimento. Da primeira vez quando ainda não sabia de ti, adorei aquelas paisagens, porém desta segunda vez amei-as e desejei senti-las um dia contigo.

Sinto-me com medo do amanhã, com vontade do presente, com indiferença do passado. Sinto-me a sorrir por dentro, como se tivesse um sorriso interior, causado por este sentimento que desconheço a sua denominação.

Sinto-me estranha de uma maneira estranha e deliciosa. Quero que a minha vida amanhã seja assim uma copulação e não uma adversidade. Quero que os nossos seres se unam, mesmo diferentes, que não se contradigam. Quero poder todas as manhãs te desejar um bom dia, quero todos os dias despertar em ti um sorriso por me veres contigo!

Mas que me fizeste tu, autor deste sentimento? Que disseste tu que me enfeitiçaste por ti? Que este feitiço perdure para poder querer-te todas as noites, todas as horas, autor deste sentimento! Não, sentimento, não fales. Não quero confirmar o teu nome, tenho medo. Sei que talvez sejas tu, mas não quero que me iludas nem desiludas, já avisei. Pronto.

Mudo de linha, paragrafei, e o sorriso continua aqui recordando o teu e o encontro entre os dois; talvez devesse usar o plural encontros, mas não quero. Não quero contar essas vezes nem outras vezes, não quero contar os dias que vivemos, nem os que faltam viver. Quero viver, unicamente só isso, viver! Viver contigo uma linda história sem começo oficial, e já sabes, sentimento e autor desse sentimento, com um final há qual daremos o nome de continuação…


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...