Que m*rda tens na cabeça?

Mas que m*rda nos passa pela cabeça para conseguirmos ser a espécie mais burra das espécies inteligentes à face desta terra?

Como conseguimos tornarmo-nos nesta sociedade de m*rda. Como nos tornamos seres tão ignorantes, tão abstraídos, tão centrados em nós próprios e apenas nós, mas ao mesmo tempo com tantos problemas de auto-estima e confiança? Alguém me explique porque USAMOS pessoas e AMAMOS coisas. Coisas inertes, sem sentimentos. Bens materiais que nos inundam a vida de lixo. Porque razão fazemos mal ao próximo e não o ajudamos? Porque nos tornamos nos piores seres que habitam a terra? Porque destruímos aquilo que nos é dado livremente? Porque não agradecemos todos os dias a vida que nos foi dada e apreciamos a beleza do Hoje? Porque matamos a pouco e pouco a nossa casa, também conhecida por Terra. Porque vivemos com o instinto de fuga, medo, cobardia e maldade ligado a toda a hora? Porque seguimos sempre a porra do caminho MAIS fácil? Porquê?

Porque não nos interessa se existem milhares e milhares de pessoas a morrer à fome no outro lado do mundo ou ao fundo da nossa rua? Porque bombardeamos países que não são iguais a nós e matamos pessoas inocentes. Não me interessa se são crianças, mulheres ou homens. Em que merda de civilização nos tornamos, quando a única coisa que sabemos fazer melhor que ninguém é minar as mentalidades com ódio, rancor, baboseiras e embustes.

Que mundo é este em que choramos com um gatinho perdido na rua e fazemos cara de nojo quando vimos alguém roto e pouco vestido, sentado no chão, sem banho tomado, cabelo desgrenhado e manta aos pés. Mas que merda somos nós afinal que damos 5 cêntimos a um sem-abrigo para fazermos a boa acção do ano, em vez de lhe darmos a mão, uma refeição par ao estômago e uma conversa para a mente e para o coração?

Mas que porra vai nestas cabeças para odiarmos família e amarmos “famosos”? Há alguém capaz de me explicar que porcaria nos corre cá dentro para sermos estes seres armados em importantes que discutem e especulam porque eu digo A e tu dizes B?

Mas que raio de m*rda nos incutiram para nos tornarmos nesta porra obsoleta, viciada e deslavada?

Amor, bondade, solidariedade e compaixão são coisas que devíamos conhecer. Não as palavras. Sei que somos inteligentes o suficiente para as usarmos em longos textos falsificados nas redes sociais à procura de Likes. Mas o que fizeste tu até hoje para teres sequer a dignidade de usares essas palavras. A raça humana revolta-me. Conseguimos sempre, sempre, mas sempre, seguir o caminho mais curto, mais fácil, que menos trabalho dá.

Pergunto-me quando vamos começar a dar importância ao que realmente devia importar. O que nos devia mover irá entrar a tempo no nosso sistema?

PORCatarina Diogo
Partilhar é cuidar!