Quando a perdi…

Acabou a minha oportunidade, e chegou a tua.
Espero que não a deixes fugir,como eu deixei, acredita que me arrependo disso constantemente.

Confesso-te que ainda percorro caminhos que sei que ela percorrerá, com uma esperança louca de a  reencontrar.
E quando essa eventualidade acontece, apenas a observo, sem nada dizer, como se nem sequer nos conhecêssemos.
Acredita que doí bem mais do que dar o braço a torcer numas quantas discussões.

Acredito que o sorriso dela te apaixonou tanto quanto me apaixonou a mim.
O sentido de humor dela abrangeu-me por completo, eu sentia-me parte dele, como se de uma comédia a nossa vida se tratasse, e eu adorava isso.
Adorava o facto de poder dizer tudo, falar sobre tudo.
Adorava já não ter problemas só meus, e saber que no fim da noite eu poderia ir dormir e saber que tudo se resolveria, porque eu tinha-a a ela.

Não te vou dizer que a nossa relação era um mar de rosas, porque se o fosse não teria acabado.
Mas ela era boa, muito boa até.
Ela entendia-me, ela apoiava-me e estava sempre lá. O que por incrível que pareça não era mutuo.
A frase do “só damos valor quando perdemos” é bem verdade, e aplica-se perfeitamente neste caso.

Os meus amigos diziam que eu a amava, o que no nosso grupo era um passo para o precipício. Eu defendia que não, por não querer pensar que estava dependente demais, que estava preso demais.
Para poder afirmar que eu ainda era um deles.
Mas não o era, nunca o fui, e nunca o quis ser, só tive medo de o admitir.

Eu estava completamente dependente dela, e eu adorava isso. Adorava o facto de acordar de noite para ver se ela estava tapada,  poder abraça-la quando me apetecesse.
Adorava-o tanto que quando a perdi, desisti de mim também.
Deixei de ir a encontros de família, a saídas de amigos, e deixei até o meu emprego, que julgava adorar.

Deixei tudo, e passei apenas a esperar uma chamada dela, a tentar encontra-la na rua, apenas para a ver e para confirmar que no fundo, ela estava bem.
E ela estava, ela estava tão bem…. E não sei se foi isso que me doeu mais, ela estar tão bem…
Não a percas.
Não a faças sofrer, ela não o merece.

E se algum dia ela te disser para ires embora da vida dela, não o faças.
Implora com todas as tuas forças, tenta mudar por completo, sê quem ela realmente merece.
Faz de tudo para não a perderes, porque se a perderes, já nunca mais a vais ter.
Diz-lhe que a amo, e que ainda a procuro durante a noite.
Eu estou aqui, amigo, a torcer por ti, para que a faças feliz, algo que julgo que nunca a fiz.