Prometi a Marte…

"Cumpri a minha promessa, prometi a Marte, que ia encontrar-te e amar-te, alma gémea!"

Cumpri a minha promessa
 prometi a Marte
 que ia encontrar-te
 e amar-te, alma gémea!
Não,
não é a primeira vez que te encontro
 mas conto, pela primeira vez
Que já várias vezes te encontrei
mas tu nunca me vês, nitidamente
Aparentemente
e ao que parece,
 a alma gémea aparece
 e desaparece
Às vezes
eu fico sem nada,
 só porque a alma gémea
 não pode ser domada
E sem nada
eu faço nada,
 nada fiz, nada passa a ser Marte,
 nada prometi
 então, talvez
A resposta de Marte nunca tenha sido recebida
mas a mensagem
 era sempre enviada
 e bem sucedida
Marte existe
mas deve ser em outra vida,
 porque em Marte eu não consigo viver
Tentei dar-te tudo Marte
mas mesmo assim Marte não parece existir
Eu prometi a Marte,
mas não sei se Marte existe
 e Marte pode explodir
Amo-te Marte,
Amo-te se me deixares prometer Amar-te,
 só assim saberei que existes
Não me deixes com outros planetas,
eu tenho a Lua que cuida sempre de mim
 mas a Lua é o planeta que eu tenho de guardar até ao fim,
 não quero que aconteça com a lua o que acontece com os outros planetas,
 serem atingidos por cometas ou deixarem de fazer parte de mim,
 – disse eu enquanto fui planeta Terra.
por uns momentos até soube bem, 
 mas logo acabou,
 passei a ser o Sol de todos os planetas novamente,
 e de repente perdi-me no meio de tantos planetas,
 enquanto Sol, digo:
 – Não sei que planetas deixo queimar e que planetas deixo viver,
em todos os planetas encontro sempre o planeta
que faz com que os outros planetas comecem a desaparecer.
Eu cumpri a promessa, mas só prometi a Marte que ia amar-te.