Por onde você andava?

Eu não esperava por você, sinceramente, eu não esperava por ninguém. Deixei de acreditar que a metade da minha laranja andava por aí quando as decepções se tornaram rotina. Eu não sei pra você, mas o mundo dos relacionamentos não era exatamente o que eu esperava. Te confesso que optar por não me envolver era bom, porque assim você não se ilude, ninguém te engana, você não se machuca e ninguém vai embora. Recomeçar após tantos tropeços e tombos é cansativo. Era. Até que você surgiu e colocou alguns pontos de interrogação nas minhas certezas.

Quando você me encontrou eu era um barquinho à deriva, fazendo água. Era. Você remendou os velhos buracos do meu coração e se tornou bussola em minha vida, me livrando dessa angustia que é navegar sem rumo. Içou as velas e levantou ancora, me fazendo entender que o medo de naufragar é apenas uma possibilidade. E essa possibilidade não mais me assusta, pois não há tempo ruim ao teu lado.

E sabe aquele meu bloqueio emocional? O medo de me envolver? Toda aquela balela de não me apegar? Desmanchou-se feito um castelo de areia no teu primeiro sorriso. De mansinho você entrou em meu coração, como se a vida lhe tivesse dado uma cópia da chave, como se ele tivesse que ser tua morada. Por via das dúvidas estou cruzando os dedos por nós; pedindo que você fique ao cílio que caiu; até tirei Santo Antônio do castigo assim que você apareceu. E agora entendo porque nada deu certo antes, é por você que eu tanto esperava. No armário de panelas da vida você é minha tampa.

Se nosso amor já estava escrito, se vem de outras vidas, se fomos feito um para o outro, se é sorte, eu não sei. Mas algo me diz que nós dois tem tudo para dar certo. Só depende de nós começarmos a escrever nossa história nessa página em branco. A mais linda que pudermos. Eu + você como protagonistas de nossas vidas. Entrelaçados do início ao fim.

Por onde você andava eu não sei, mas, daqui pra frente, posso te acompanhar?


PELA WEB

Loading...