Pintar em aguarela…

Silêncio, respiro,
tento respirar esta realidade,
pela qual eu suspiro,

não tenho tempo para mim,
não sei onde ando,
sinto perto o fim,
para aqui mal caminhando.

Força que proclamo
de que és feita afinal?!
se nem eu sei o que sou,
não te posso levar a mal,

Angústia, tontura,
fim de dia bandido,
ai solitário coração,
cheio, mas perdido…

Lágrima, dor, confusão,
ansiedade aluciante,
cérebro em fusão,
alarme alarmante.

A vida passa a correr,
e eu sem tempo para ela.
Não me venhas já buscar, por favor,
ainda quero pintar em aguarela.