Photoshop de amor

As coisas que somos capazes de fazer por amor são impressionantes. É fascinante assistir às mudanças que ocorrem nas pessoas quando estão verdadeiramente apaixonadas.
Imaginem que vão na rua, passam por um rapazinho e – por algum motivo vindo do espirito santo – começam a falar. Tudo bem. Começam pelo flirt, e quando te apercebes já estás apaixonada, tu és esse tipo de pessoa que se apaixona com facilidade? Bem vinda ao meu clube.
Com o tempo, tu apercebeste que ele é canhoto, então numa tentativa de criar uma relação com ele, esqueces a destreza e começas a praticar todos os dias como escrever com a mão esquerda – apesar de parecer que escreves mandarim – e para quê? Para criar uma relação com alguém? Deixa-te disso, ele não quer saber disso para nada. Alguns até podem pensar que este gesto revela sensibilidade e até vem acompanhado com aquela pitada de “fofura”, mas nada vão lucrar com isso, há sempre alguma rapariga que não precisa de se esforçar para escrever com a mão esquerda. Primeiro conselho, não te esforces demasiado, deixa fluir pois não importa se escreves com a direita, esquerda ou até com os pés, o que realmente importa é que escrevas. Escreve todas as palavras, constrói frases e organiza um texto. Faz isso não só por causa dele e para ele, mas por tua causa e para ti.

Passam dois meses e percebes que esse esforço foi todo em vão, afinal ele não era a pessoa certa para as tuas palavras. Venha o próximo!
Passa um ano e eis que te apaixonaste – novamente – por um rapaz que é vegetariano. Então, em prol do vosso amor, deixas de comer o teu bife ao almoço, trocas esse petisco dos Deuses por uma coisa sem sabor, recheada com legumes e encharcada em soja. E para quê? Nada, abdicas da tua proteína por ele e em retorno ele viaja para o outro lado do mundo para combater a desflorestação. E o teu coração? Pois, ele não pensou nisso mas é o teu dever pensar. Antes de começar aquela fase depressiva, pensa primeiro no teu coração. Encara as situações pelo lado positivo, não te martirizes pelos aspetos que apenas deram faísca e alegra-te pelos momentos em que houve fogo-de-artifício.
Mais mudanças acontecem à medida que ficas mais velha, por exemplo, ele não gosta que andes na rua com roupa desportiva e tu, apesar de estares farta de andar toda produzida semanas inteiras, acabas por ceder para o agradar. Oh pah! Eles devem entender que às vezes queremos ser desleixadas e também deviam entender que, mesmo vestidas com trapos, somos lindas! Ele detesta azul então andas sempre de cor-de-rosa. Ele não gosta que trabalhes e tu ficas em casa. Já chega não?!
Chegou a hora da mudança, sim, não pelo outro mas sim por ti! Muda porque te queres sentir melhor ou melhorar, mas sem nunca perder a tua essência. Aponta a tua lupa às qualidades e não aos defeitos, com a máquina da vida faz zoom nos momentos bons e “delete” nos maus, formata mais uma vezes os teus conceitos e preconceitos. Afinal, nas máquinas fotográficas, é possível escolher várias aplicações que melhorem a qualidade das tuas fotos – fotos que capturaram um momento – nas relações e na vida é igual. Por vezes, um simples aumento do sorriso é suficiente.