Pergunto-me porquê?

Hoje, dia 1 de Outubro de 2015, fazemos precisamente 4 meses de namoro mais uns 2 anos e não sei quantos meses que nos conhecemos. E pergunto-me porquê? Pergunto-me do porquê de isto ter chegado ao que chegou, pergunto-me do porquê para que isto se tenha desenrolado como desenrolou, sinceramente, não sei! Não sei! Não sei mesmo, não sei resposta a nenhuma pergunta, e é isso que me atormenta todos os dias. Será talvez pelas burrices da tua parte no passado? Será talvez pela minha incerteza do futuro? Ou será por pensar demais? (como dizia Fernando Pessoa).

No início em que nos conhecemos era tudo tão mágico meu Deus, nem parecia que era deste mundo. No início era aquela vontade de falar contigo, era aquele frio na barriga ao te ver, aquela ‘mudança de cor fofinha’ como dizias tu. Apaixonei-me, apaixonei-me completamente, ate não ver mais ninguém à frente, era a pessoa mais querida do mundo, tu dizias que eu era especial para ti, mas não da maneira como eu queria ser! Traíste-me! Traíste a minha confiança, o meu sentimento disparou, mas no sentido contrário, desiludiste-me e eu chorei, chorei e chorei ate não ter lágrima alguma cá dentro, logo depois mudei, já não era mais aquela pessoa querida com todo o mundo, mas sim aquela pessoa fria que tinha acabado de ser magoada por quem amará com todas as suas forças.

Aconteceu o que mais eu temia!!! Meu Deus, porquê a mim? Porquê assim? Deste-me valor depois de já me teres perdido completamente e eu nem ter dado por isso, então foi tudo muito rápido, dia 31 de maio de 2015 começamos a namorar, mas conforme os dias passam, as rotinas recomeçam, eu apercebi-me que mesmo querendo amar-te como amava, eu não consigo, tu tiraste aquele sentimento lindo, gigantesco que tinha por ti, e agora? E agora é suposto eu fazer o quê? Não sei! Não sei mesmo. Estou perdida, sim estou mesmo. Não sei o que será de mim daqui para a frente, não sei o que será de nós.

Estou em aqui a chorar e a chorar em frente deste computador sem saber como terminar com isto, o que me dá mais pena é que eu sei que me amas, e eu amava-te com todas as minhas forças, amava mesmo. Mas não dá mais para mim … tenho medo de desiludir as pessoas, as pessoas que só esperam de mim o bem e não sei o que acontecerá se te magoar.

Desculpas-me?!