Perdoa-me!


Querida filha, a minha memória já escasseia mas lembro do teu primeiro choro até ao primeiro dia de escola, o tempo passa rápido como o tempo voa não é?

Apesar das divergências todas, embora não acredites eu nunca deixei de te amar…

Sei que já venho tarde mas desculpa por te ter desiludido, mas acima de tudo por te ter magoado da maneira que o fiz…disseram me que a tua dor era demasiado forte para suportar sozinha mas mesmo assim o fazias…senti-me tão mal por saber que estavas a sofrer daquela maneira tão insensível, sou um mostro eu sei.

Eu pensava que estava a fazer o meu papel de mãe como deve ser mas fiz tudo menos isso.

Quero que saibas que tenho muito orgulho em ti, que te tornaste uma grande mulher, apesar dos obstáculos que te apareceram na vida. Ainda me lembro das últimas palavras que me dirigiste, não as disseste de forma muito directa mas acredita que senti a raiva que elas traziam. Naquele dia não eras a minha menina de ouro mas a culpada…fui eu que te tornei assim meio fria meio distante.

Sei que nunca mais me vais falar, por isso resolvi escrever-te na esperança que um dia leias isto. Muita coisa mudou..o teu irmão já é adulto mas igualzinho ao teu pai (preguiçoso), a tua avó infelizmente já teve a sua hora e tu? Foste a única que cumpriu as suas palavras aquelas que tanto duvidei.

Só queria que o tempo voltasse atrás e que não tivesses este peso que carrego todos os dias comigo, de te ter perdido por causa das minhas acções passadas, cujo aquelas não podem ser alteradas.

Sinto que nunca te conheci, mas essa é essa a grande verdade pois nem sei a tua cor favorita.

Lamento muito por tudo…se esta carta já chegou ás tuas mãos, é sinal que chegou a minha hora e que não queria partir sem tu saberes que te AMO FILHA!!

P.S.: Só te peço uma única coisa…perdoa-me.

RECOMENDAMOS