Perdi-te e a culpa é minha!

Estávamos a ter uma discussão, tu querias manter as coisas na mesma mas eu não, eu queria dar o próximo passo e estava pronta e tu não. Éramos incompatíveis nesse aspeto.

Por isso deixei-te ir, deixei-te viver a vida que tanto querias e ansiavas mas sempre desejando que voltasses e me dissesses que estavas enganado, que devias ter ficado que era isso que tu querias e nada mais. Que querias voltar aquela tarde em que retiraste os cabelos do meu rosto e me beijaste pela primeira vez. Que querias voltar aos nossos jantares que acabavam sempre contigo a tentar ensinar-me a dançar a salsa. Que querias voltar aquele parque perto do rio, quando era noite e havia uma brisa fria no ar. Naquele dia em que me levaste a mala por achares que estava muito carregada e que me deste o teu casaco e um abraço apertado para que me passasse o frio. Naquele dia em que eu decidi que te tinha escolhido no lugar de todos os outros. Naquele dia que vieste ter comigo e que falamos durante horas sobre as coisas mais parvas e mais sérias do mundo. Naquele dia que eu queria que durasse para sempre e nunca acabasse. Sem eu saber o pior estava para vir.

Estávamos a ter uma discussão, houveram sempre certos aspetos em que discordamos. Em que por mais que tentássemos não nos conseguíamos pôr no lugar do outro e nós tentávamos. Posso dizer que foi assim que tudo começou. Eu não queria mas uma coisa levou a outra e quando dei por mim já não havia nada a fazer eu tinha acabado de fechar a única porta que não deveria ter sido fechada. Eu tinha-te perdido, eu voltei atrás e abri a porta mas não te podia fazer isso, tu já estavas a viver a vida que querias há algum tempo estavas a aproveitá-la então deixei-a encostada esperando que um dia reparasses. Se calhar foi esse o meu erro esperar que tu reparasses e não abrir a porta voltar a entrar e correr para os teus braços.

Eu perdi-te e a culpa é minha, de mais ninguém só minha porque podia ter tirado todas as minhas dúvidas naquele momento eu podia ter esclarecido tudo mas eu não… Eu não quis. Eu preferi resguardar-me manter-me a salvo e não me causar um desgosto. Mal sabia eu que esse mal já estava feito. E se soubesse o que sei hoje talvez ainda estaria contigo mas mesmo que não estivesse ao menos não teria dúvidas sobre nada.

Eu perdi-te, eu sei, e a culpa é só minha.

PORVegi
Partilhar é cuidar!