Passado Enterrado…

E ao fim de tanto tempo, mais uma vez, nos voltamos a cruzar. “Cruzar”… Penso que seja a palavra mais adequada, parece mais despida de sentimentos, de alguma forma algo mais vazio. Ao escrever “encontrar” estaria a tirar brilho a esta bela palavra, pois significa o encontro entre pessoas e não apenas a simples presença de dois corpos no mesmo espaço num determinado momento, mas sim com sentimentos como a amizade, a alegria e o amor. Definitivamente eu e tu apenas nos cruzamos!

“Eu e tu”… Durante algum tempo a separação de um “nós” em um “eu” e um “tu” doeu bastante, foi como se o chão tivesse cedido debaixo dos meus pés e eu caísse num buraco sem fundo. É difícil quando nos habituamos à presença de alguém, quando confiamos nela, quando pomos o bem-estar dela à frente do nosso, quando acreditamos cegamente que podemos contar com ela e de um momento para o outro não somos mais do que dois desconhecidos…

Nunca percebi como chegamos a esse ponto, mas a verdade é que somos dois desconhecidos com olhares que já se conhecem, com lábios que já se uniram, com mãos que já percorreram longos dias entrelaçadas, com braços que já protegeram, com corpos que já partilharam a mesma cama… Mas nesse dia os olhares já não disseram nada, os lábios não se mexeram, as mãos não se tocaram, os braços não se aproximaram e os corpos apenas se cruzaram… Um “eu” e um “tu” que seguiram caminhos diferentes que não estão destinados a chegarem ao fim do grande labirinto do amor juntos.

Por algum tempo magoou e custou aceitar que voltava a estar sozinho, mas a verdade é que não me arrependo, até agradeço porque cresci e aprendi muito. E o mais importante é que após um certo tempo apareceu uma pessoa muito especial, que mudou a minha vida e trouxe-me tanta felicidade que simplesmente sei que juntos vamos percorrer este longo caminho e chegar a um tempo em que mesmo com rugas e cabelos brancos vamos estar juntos!

A vida ensinou-me que quando caímos temos de nos voltar a levantar e a erguer a cabeça. É preciso acreditar porque se perdemos algo é porque estamos destinados a algo melhor…

E a verdade é que daqui a uns anos, muitos anos, vou estar a contar aos meus filhos a maravilhosa vida que tive ao lado desta pessoa que me ajudou a levantar e esteve sempre lá quando foi preciso…