Parabéns avô!

O teu nome ficou inscrito na minha pele.

É como se todos os meus poros clamassem por ti.

A melancolia assolou-se do meu pensamento e o cansaço da minha vontade aqui estar.

Partiste! E contigo levaste as minhas esperanças e os meus sonhos.

Hoje era o dia em que festejávamos, era o dia em que a casa se enchia de palavras, gargalhadas e boa disposição.

Passaram-se 10 anos, 10 anos de uma angústia que pinta o meu coração de negro.

Sou crente em Deus! Acredito que aquela não foi a nossa despedida e que estaremos juntos um dia.

Na minha mísera infantilidade tu eras o meu ídolo, sempre o foste.

Se sou o que sou a ti te devo!

Foste mais do que avô, foste um pai, foste o melhor companheiro de aventuras que poderia ter tido.

Relembro fervorosamente os nossos momentos juntos, relembro um em particular, sentavamo-nos nas cadeiras brancas do pátio e comíamos aletria com canela, fazíamos sempre tudo a meias.

Precisava de saber se sentias orgulho em mim, o meu pensamento voa constantemente para ti e espero que te orgulhes desta que já não é a menina de 8 anos que conhecias quando nos deixaste.

Ninguém conhece estas tristezas, eles não conviveram contigo durante 8 anos, não estavam presentes todos os dias… Eles não sentiram as trevas densas que envolveram o meu corpo.

Queria poder ter-te aqui, abraçar-te e desejar-te felicidades.

De ti restam apenas livros, fotografias e doces memórias.

Gostava que tivesses caminhado junto a mim todos estes anos, mas foi impossível.

Não estou revoltada, Deus colheu a flor mais bonita do jardim da vida.

Parabéns avô!

Parabéns pelo grande homem que foste!

Parabéns pois hoje é o teu dia!

PORSofia Sousa
Partilhar é cuidar!