Para sempre e sempre…

O telefone toca, vejo no ecrã um número que não conhecia, atendo insegura de quem será na outra linha, era uma senhora que me quer confirmar se está a falar com a pessoa certa, eu confirmo que é a própria, ouço uma pausa, longa pausa e alguém a engolir em seco “aconteceu um acidente com o seu noivo, por favor venha para o hospital assim que conseguir”.

Caiu-me o mundo, caiu-me ali mesmo, por uma chamada telefónica, por uma voz que eu não conhecia, não parei de tremer, veio-me tudo a cabeça, quando nos conhecemos no parque, nos olhares que trocamos, eu por achar que nunca ia falar contigo por falta de coragem e tu por achares que eu não estava interessada em ti, lembrei-me quando me levas-te a tua gelataria favorita e me mandas-te com gelado à cara e eu ri-me e tu ficas-te hipnotizado a olhar para mim a sorrir de canto a canto, e eu parei, olhei para ti com um sorriso inocente e perguntei “o que foi?” e tu aproximaste-te mais, inclinaste-te e beijas-te-me pela primeira vez, o primeiro beijo de longos 5 anos de namoro, lembro-me tão bem como se fosse ontem a primeira vez que senti os teus lábios, o teu toque.

Entro no hospital e só tenho flashbacks, ouço a tua voz no meu coração a dizer “amo-te” como na primeira vez que estávamos a passear pela praia e tu olhas-te para o horizonte e disseste “eu acho que te amo” e eu com uma voz indignada e chateada perguntei-te “achas?” e tu riste-te, viraste-te para mim, fixas-te os teus olhos nos meus, sorriste e disseste “não, eu tenho a certeza que te amo” a minha resposta bastou um sorriso, o teu sentido de humor sempre foi o teu ponto forte, quando eu deixava queimar a comida e tu dizias “não tem mal é da maneira que eu como menos e emagreço” sabes sempre como lidar comigo, como arrancar um sorriso dos meus lábios, quando víamos filmes românticos e começas logo “ eu nunca te vou fazer este tipo de coisas, mereces mais que um cliché e além disso isto é mesmo a filme de gaja, um acto de amor era mesmo enfrentar o Hulk por ti, isso sim é que era uma prova de amor”.

Não te posso perder, não agora, não quando finalmente me fizeste acreditar no amor verdadeiro, quando és as única pessoa que me compreende e que sabe, que conhece todos os meus defeitos e só me ama mais a cada dia que passa, que quando eu ralho se ri me beija a testa e eu nunca consigo ficar chateada, sei o quanto é difícil encontrar alguém assim e eu encontrei-te por sorte, por pura sorte, eu tenho o meu amor verdadeiro real e não é apenas nos filmes que isso acontece, sempre quis ser como aqueles casais nos filmes que parece que nunca discutem, se completam, que são inseparáveis, sempre quis e agora que tenho não posso perder.

Vejo-te na cama ligado a tubos e a máquinas apitar, hesito em ir ao pé de ti, tenho as lágrimas a queimar-me o rosto, o meu corpo a tremer e a as minhas pernas a quererem não se mover, não tenho forças para avançar e ter a certeza que és tu que estás nessa maca, não reages a minha presença, como se não tivesses cá e a cada segundo que passa caio na real que isto está mesmo acontecer, sempre pensamos que este tipo de coisas só acontece nos filmes, nunca imaginei se alguma vez acontecesse comigo e agora já não é preciso imaginar, sinto a dor de perder alguém. A enfermeira disse que tiveste morte cerebral e não há nada a fazer, eu não consigo acreditar que não há nada a fazer o que vai ser de mim sem ti?

Agarro-me a ti a chorar sem parar, a tentar gritar mas da minha boca não sai um som, sinto-me sem forças perdi tudo, tudo o que tinha foi-se e não é justo, não merecia isto não era a tua hora, ouço a máquina a apitar e só consigo sentir raiva, sei que não há nada a fazer e que ela só mete o teu coração a bater, que já foste mas eu não consigo deixar-te, és tudo  o que tenho, tudo o que eu quero ter para sempre sem ti é como a vida não fizesse sentido e ninguém entende a dor que eu estou a viver, arrancaram-me o coração a sangue frio quanto te arrancaram desta vida, arrancaram os nosso sonhos para sempre. Olho para a minha mão e vejo o anel que me deste quando me pediste para eu te deixar que aturasses todos os dias o meu mau humor, as minhas manias e que ficasses para sempre e sempre ao meu lado, no bem no mal, para sempre e sempre ias estar comigo.

Amo-te para sempre e sempre te vou amar, sinto a toda a hora a tua falta, sinto um vazio no meu coração que nunca vai ser preenchido, o teu lugar no meu coração era grande demais, tão grande que nunca vai fechar por completo e eu não ia querer esquecer a pessoa que me mais me amou, me ensinou a amar, me ensinou o que era um fora de jogo no futebol, me protegia acima de tudo e de todos, que sempre amou todos os detalhes meus, todas as minhas falhas, me ensinou a amar-me a mim porque o tinha a ele ao meu lado, toda a gente diz para seguir em frente mas em frente eu só te vejo a ti, sei que a dor não é para sempre, mas agora parece que nunca vai passar e só queria que aqui tivesses para fazer piadas da minha cara de choro, do meu nariz inchado e da minha cara vermelha que me fizesses rir e aliviar um pouco este aperto no peito.

Para sempre e sempre…

PORDaniela Lopes
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...