E Se O Papá Estava Certo, Mamã?

E se o papá estava certo? Quando disse que o para sempre é uma ilusão… Terias ficado só mais uma noite para acalmar o meu coração?

E se o papá estava certo? Quando disse que o meu coração um dia se iria partir… Terias ficado só mais uma noite para adiar por umas horas o inadiável?

E se o papá estava certo? Quando disse para ter cuidado com o mundo… Terias ficado só mais uma noite para me ajudares a vencer os monstros que habitam lá fora?

E se o papá estava certo? Quando disse que as melhores pessoas vão cedo de mais… Aguentarias só mais uma noite para que eu pudesse aceitar a tua partida?

E se o papá estava certo? E desde o inicio eu soubesse todas as respostas às perguntas que evitei colocar na mesa, dar-me-ias um último beijo de boa noite e sumirias durante o sono?

É que hoje acordei e tu não estavas aqui, desesperei e lembrei-me das palavras do papá, ele sempre teve razão.

Sexta-feira, nove da manha. Dobrei a tua roupa. Arrumei a tua cama. Limpei o pó sobre a cómoda enquanto te vi sorrir na fotografia. Um sorriso congelado no tempo. Uma pequena memória da tua vida.

Arrumei todas as outras divisões, enquanto cantarolava a tua música preferida. Almocei a toda a velocidade e saí a correr para comprar flores e adornar a sala, como tu tanto gostas. Costumavas dizer que eu era a flor mais bonita do teu jardim.

Terminei o dia e senti-me realizada. Fiz tudo como gostas. Fiz tudo do teu jeito.

Coloquei o teu lugar na mesa e esperei por ti para jantar, mas tu não vieste… Os portões lá fora estão abertos, sei que te tornaste um anjo. Duas lágrimas caem dos meus olhos, enquanto a minha memória vai apagando o teu rosto, mamã, não te posso perder de novo.

Então fica comigo esta noite, embala-me como me embalavas quando eu era apenas um pequeno ser frágil e delicado, que precisava apenas do teu amor e dos teus cuidados. A tua menina ainda precisa de ti aqui, das tuas histórias de embalar, das tuas palavras para me confortar.

Limpei o pó, mas não consegui limpar a dor que deixaste. Aspirei a casa e aspirei a saudade. Lavei as tuas roupas e lavei o meu rosto em lágrimas, a flor mais bonita do teu jardim murchou… Fazes-me tanta falta.

Eu sei que o papá estava certo e tem sido o meu suporte, obrigada pelo homem fabuloso que deixaste a cuidar de mim.

Mas e se eu te pedisse um último beijo de boa noite, dar-me-ias?

O teu lugar na mesa continua lá à tua espera.

Espero que voltes rápido desse céu azul que te levou de mim.

 

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...