P.S.: já disse hoje que te amo?

Vai caindo a noite, a escuridão escorrega pelo céu abaixo pintando-o com estrelas, carregando no ventre as reflexões do dia. E o tema é sempre o mesmo: Tu!

Se escrevesse uma palavra de cada vez que penso em ti não teria um livro, teria uma coleção inteira. Invades-me o pensamento todo o santo dia e como se não bastasse todas as noites na cama fazes o favor de me assaltar a minha mente e emergir no meio dos meus sonhos, obrigas-me a sonhar contigo acordada. (Como se eu me importasse.) Não dá sequer para tentar pensar noutra coisa, esta cama é demasiado grande para mim, os lençóis sentem a falta do teu cheiro, do toque da tua pele. (Vem dormir comigo, prometo não contar a ninguém.)

(Achas bem que faças isto comigo?) Fazes-me perder-me mesmo sabendo bem onde me encontro, perco-me por entre sonhos e ilusões, enrosco-me por entre os cobertores, deito a cabeça na almofada e quase te sinto aqui, olho para o outro lado da cama e mesmo sabendo que não estás quase te posso ver de tanta que é a minha vontade de a partilhar contigo. Faz-me falta o teu peito para encostar a cabeça e adormecer. (Já te disse que esse teu peito é a melhor almofada que há?) Penso como seria bom se estivesses aqui e como é bom saber que no fundo até estás, pena que só na mente e no coração. Dá comigo em doida este nosso amor, mais forte que uma rocha mas mais delicado que um pena. (Sabias que me levas à loucura de tanto amor por ti?) Desejava-te aqui, ao meu lado, desejo os teus mimos a toda hora e detesto não os ter sempre que preciso. (Porque é que a vida é tão cheia de distâncias? Que chatice!)

E em cada noite, a cada pensamento, me deslumbro mais, me apaixono mais por ti. (Será possível amar-te ainda mais?) Sinto-me cada vez mais enfeitiçada por ti e pelo nosso amor de cada vez que me vêm à memória os tão nossos momentos, os de brincadeira, os de puro amor e tantos mais.

Se o mundo acabar amanhã fica sabendo que quero que acabe ao teu lado.

(p.s.: já disse hoje que te amo?)