O regresso à faculdade…

“Mãe e pai, estou de novo a deixar-vos para voltar para aquele que é agora o meu novo mundo, a faculdade. Custa me imenso deixar-vos atrás outra vez, ter de passar pela distância que me separa de vocês outra vez e readaptar-me às rotinas, aos horários, a comida que tenho de fazer para mim, aii saudades dos cozinhados da minha mãe, ao meu apartamento que trocava sem remorso nenhum pelo meu quarto da minha casa. Terei de me desenvencilhar sozinha.

Começa novamente a pressão e tudo aquilo que tinha esquecido enquanto estive com vocês estes dias. Vai voltar aquele “adeus” meio “até já” meio “quero ficar”. Vai voltar a saudade de quando me acordavam com cócegas e quando me gritavam para me despachar para apanhar o autocarro. Sabem quando acordava super mal-humorada e mal vos dirigia a palavra? Ou quando me chateava com vocês de uma maneira parva? Era tolice, uma tolice tremenda! Mas nunca deixei de gostar de vocês, aliás cada vez gostava mais. Gostava e gosto da maneira como me protegem com medo que me magoe porque já passaram por isso e já viram essa história antes.

Agora só o facto de chegar a uma casa que está lá por obrigação da vida, para poder estudar, assusta-me porque vocês não estão lá. Tenho de gerir sozinha o dinheiro que vocês me mandam, aprender com as coisas mal feitas e vocês como não estão aqui tenho de tirar as minhas próprias conclusões desses erros. Quem disser que é fácil viver sozinho, eu nego. Mas muitas vezes é uma questão de hábito e força de vontade.

Mãe… Pai… Não fiquem tristes outra vez com a minha partida porque daqui a meses estou de volta. Desculpem aquelas parvoíces de miúda. Nunca me custou tanto abraçar alguém, como me custa abraçar-vos. Vocês são o meu conforto e alento com apenas um abraço ou palavra, não quero ir já! Obrigada por serem aqueles que me seguram se pensar em cair. ”

-alguém que me contou