Obrigado, desculpa, até sempre…

Lembro-me de ti à janela. Durante as noites de inverno em que o céu estava limpo, adoravas sentir o frio na cara e a luz da lua por cima de ti, como se te aquecesse a alma e te bronzeasse a pele. Juntava-me a ti e era nesse preciso momento em que nos esquecia-mos de tudo e nos conhecíamos outra vez e outra vez. Quantas vezes o fizemos? Não sei.

Contámos a mesma história vezes sem conta, até não faltar nenhum pormenor. Como eu adorava esses minutos em só a lua nos iluminava. Em que não existia mais nada, só nós! Nunca te disse, mas voltava a apaixonar-me por ti, o teu olhar prendia-me a casa segundo, o braço que punhas à volta da minha cintura, cada vez me fazia sentir mais segura. Não tinha medo que o mundo acabasse ali, naquele instante, ias proteger-me.

Tinhas um dom especial, conseguias ler-me de trás p’ra frente, sem precisar falar. Os nossos olhos beijavam-se a toda a hora, os nossos corpos tinham íman. Prendias-me tão facilmente que chegava a assustar-me. Nunca te disse o quão importante era para mim chegar a casa contigo e ficar a ver o pôr do sol, aquela mistura de azul e cor-de-laranja, de quente e frio, de claridade e escuridão. Fazia-nos sempre pensar em como duas coisas tão diferentes podiam formar algo tão bonito.

Depois sorriamos e lembrava-mos de nós! Tão apaixonados, tão simples, tão nós, tão nosso. Amava-te por inteiro, não havia em ti nada que não gostasse, nada que quisesse mudar. Apaixonei-me pela pessoa que és e nunca fez sentido para mim querer mudar-te. Sempre foste tão sereno. Bastava olhar para ti que me acalmava.

Quando estava triste, o simples gesto da tua mão a passar pelo meu rosto, a limpar-me as lágrimas, fazia-me perder a coragem de chorar novamente. Ao teu lado só me apetecia sorrir, era instantâneo. Sem motivos. Só porque sim. Só porque te amava. Não sei se preciso pedir-te desculpa, acho que não queres mas sinto que precisas. É confuso. A palavra é tão simples e nunca muda nada… pedes desculpa à alguém quando vais contra ela na rua, quando sem querer lhe roubas o lugar no autocarro.

Contigo não se trata de pedir desculpa, só aceitar as consequências dos nossos actos. Nunca disse que te amava e esse foi o meu maior erro. Quantas vezes me pediste. Quantas vezes o teu olhar pediu. Sempre pensei que não fosse preciso dizê-lo. Sempre soubeste que o meu amor por ti ia além das palavras. Pensava eu. Nunca te disse que queria que fosses o pai dos meus filhos, o destinatário da correspondência que íamos receber na nossa casa, o despertador de manhã, a música no chuveiro… era o que mais queria. Ter uma vida contigo, diferente da que tínhamos, semelhante àquela que imaginávamos quando ficávamos os dois à janela.

As palavras são só palavras, mas não consigo evitar, desculpa! Por me ter deixado perder-te. Por não ter aceite a boleia para ir atrás de ti. Vou guardar a nossa história numa caixa de infinito, todos os dias que passamos juntos. Guarda-os também, com todo o amor que sei que sentis-te. Com todo o respeito e carinho que comigo partilhas-te. Desejo-te o melhor que não te consegui dar. Um dia vou fazer a mulher da tua vida prometer-me que te vai fazer feliz. Que vai fazer a tua comida preferida quando chegares cansado do trabalho, que te vai abraçar mesmo todo suado e receber um beijinho na testa com o maior dos sorrisos.

Vou fazê-la prometer que te vai fazer sorrir, que te vai adormecer nos seus braços, a encher-te de mimos. Vou pedir-lhe que não te deixe ir embora, para não desistir. Convencê-la que mereces. Fazê-la prometer que quando tiveres à janela te vai fazer companhia. Vou ensina-la a dizer que te ama, todos os dias. Pedir-lhe que te mostre esse amor a cada minuto que passe ao teu lado para que não sintas necessidade de procurar noutro lugar.

Quero que sejas feliz. Preciso que sejas feliz. Preciso sentir, quando passar por ti na rua, que não trocavas a vida que tens por outra qualquer. Que conseguiste encontrar alguém que te preenche. Alguém que consegue olhar para ti nos olhos e dizer que te ama, que não consiga falar contigo só de luz apagada e que se envolva nos teus braços todos os dias debaixo dos lençóis. Mas, por favor, te peço que me guardes num cantinho dentro de ti. Que não te esqueças de nós. Do que vivemos. Do que passamos. Que te perdoei e que espero que me perdoes por não ter conseguido ser a mulher perfeita, a tua mulher perfeita.

Eu vou levar-te comigo para sempre, serás sempre um bocadinho meu! Se fores feliz, eu sou feliz!

Obrigado, desculpa, até sempre…

PORÂngela Pereira
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...