O tudo de alguém!!!

Já estou assim…

Já estou naquela fase onde estou perdida, onde não sei como vou acordar amanha ou como me vou deitar à noite. Deito-me a pensar em nós, em tudo o que aconteceu, todos os lugares maravilhosos que visitamos com um sorriso no rosto e amor no coração, todas as comidas que experimentamos juntos ou que fazíamos às 4 ou 5 da manha quando a paixão não apagava mas a barriga dava horas, todas as gargalhadas que partilhamos durante horas, todas as carias no meu cabelo que eu adorava e pegava na tua mão quando ela se esquecia que deveria de estar a mexer…

Todas as vezes que a minha perna adormecia entrelaçada na tua e eu com medo de deixar de sentir todas as tuas pulsações não a mexia, de todos os olhares que trocamos quando um ”amo-te” não era suficiente para aquele momento em que os nossos corações se enchiam de amor, todos os filmes que vimos e de todas as vezes que discutimos para decidirmos qual o filme que iríamos ver, de todas as series que choramos quando acabaram porque nos identificávamos como loucos com as personagens, de todas as piadas mal-dosas que só a nós dizia respeito, de todos os cafés que te via a tomar, de todos os cigarros que fumávamos na nossa cama agarrados um ao outro sem querer saber de nada, das musicas no carro que cantávamos como se não houvesse amanha, da loucura que era termos encontrado um amor daqueles, da forma tão perfeita e natural como os nossos dedos entrelaçavam e me fazias festas na palma da mão, da maneira como o meu corpo encaixava no teu e eu pensava ”sou tua”.

Sabes, eu contigo amei de uma maneira louca! Calei todos os monstros na minha cabeça, deitei fora todos os meus medos, perdoei erros que nunca os farias, suei por um amor que pensei eu ser o meu.

Mas não foi.

Esse amor foi todo teu, toda eu fui tua, o meu intimo foi teu, os meus sentimentos, medos, inseguranças, desabafos… Foi tudo teu. Eu fiquei sem nada. Acordei como quando se acorda de um pesadelo, sobressaltada a pensar que morremos a cair de um prédio.

Dizem que o tempo cura tudo… Gostava de poder adicionar uns bons anos à minha vida para curar esta dor. Gostava de ir sair, beber, estar com os meus amigos e não ser relembrada a cada segundo que passa que metade do meu coração não está comigo. Gostava de acordar e ver que tudo foi uma grande partida e olhar para o lado e ver o teu grande sorriso palerma a olhar para mim como se eu fosse tudo.

Nunca fui um tudo para ti, mas quando esta dor passar, quando as lembranças dolorosas de ti estiverem numa caixa e fechadas a sete chaves na minha cabeça, eu serei um tudo para alguém.

Tenho pena, que não visses o meu tudo, mas sabes? Pessoas que são nada, nunca serão metade daquilo que sou.

PORAicha Oisken
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...