O pai tem cancro!

Cancro.
Aquela pequena palavra que faz toda a gente tremer. Que consegue fazer um mundo desabar em questão de segundos. Palavra esta que dá medo só de a pronunciar. Achamos que as coisas só acontecem aos outros…como somos inocentes. Não estamos livres de nada.

Já tinha ouvido esta palavra inúmeras vezes e compreendia que era algo mau, que destruía as pessoas, pelo menos aquelas que se deixavam destruir. Que era um bichinho inteligente que se “entranhava” nelas. Que moravam dentro das pessoas e que as consumia. Mas um dia ouvi: “O pai tem cancro”. Acho que foi dos piores momentos, senão o pior da minha vida. Essa pequena palavra que arrasa as pessoas, caso para dizer que o meu mundo desabou. Não ouvi mais nada desde essa frase…apenas me lembro de ter chorado como nunca.

Sempre que me despeço do meu pai dói-me o coração, sinto um aperto. Dá-me uma vontade enorme de o abraçar e o encher de beijos como se não houvesse amanhã. E da mesma maneira que achamos que as coisas só acontecem aos outros, também achamos que há sempre amanhã.

É um sentimento tão ruim, tão mau quando vemos aquelas músicas melosas e aquelas frases de facebook que quando temos mesmo o medo de perder, é quando damos mais valor e começamos a perceber que se adequa à nossa situação, à nossa vida.

O meu pai está com medo do que se aproxima e eu com um gigantesco medo de o perder.