O meu âmago mais profundo!

Te escrevereis.
E dou-te mais uma vez, de ter a oportunidade de conhecer meu âmago mais profundo, aquele que não é totalmente conhecido.
Mas aos poucos, vou me abrindo.
A ti serei, o zelo mais sagrado.

Eu sei, há a harmonia entre a escrita, e o sentimento.
Daqueles que não haviam há muito tempo, despertaram.
É impressionante, a cada momento, que se passa.
E como as coisas vão mudando, por fim, mudaram.

És incrível o modo de como é visto.
Doi(s) pontos de vistas, dois corações, colocados contra a parede.
Não digo que irei te mostrar somente meu lado mais alegre.
Porque nada é um conto de fadas.

Assim como eu não sou a princesa do castelo, e do príncipe perfeito.
Como me quiseram do jeito, um deles.
Não me encaixo em quaisquer quebra-cabeça.
Sou um relógio, sem ponteiro, uma confusão.

Digo, haverá lados tristes meus, em que eu não poderei controlar.
E digo, haverá muitos lados alegres, meus, quando teus.
No momento, estou usufruindo dele.
O lado mais sútil, a inspiração da solidão.

Digo, todo sentimento é incrível.
O jeito de como se escrever uma canção, ela foi sentida.
Os poetas são aqueles que sofreram, para ter inspiração.
Não há poeta que foi totalmente feliz.

Porque sem a dor, não há vida.
E sem vida, não há inspiração.
E sem inspiração, não há sentimento.
Por isso, tenho a reverência de sentir.

Independente, do que for, amarei.
E amarei, o que for.


PELA WEB

Loading...