O amor que vai morrendo …

E os dias vão se passando … e eu continuo aqui … não me perguntes o que faço, ou porque espero. Nem eu sei a resposta a essa pergunta. Ou será, que há uma resposta a essa pergunta?

Passou-se mais um dia, mais um dia que tu não me ligaste, nem te dignaste a mandar uma mensagem, seja a dizer o que fosse, eu não me importava, mas ao menos eu saberia que te tinhas lembrado de mim quando mandaste a mensagem.

Já não nos vemos com tanta frequência , as mensagens passaram a ser mensais e as chamadas anuais. Mas descansa, não estou a dizer que és o culpado, em parte, até és. Mas eu confirmo, que a culpa também é minha.

A culpa é minha porque já fica difícil de marcar os encontros , porque já não há aquela vontade de te ver e de te ter diariamente. Fica difícil fazer-mos uma chamada como dantes, pois agora até as palavras faltam e não é porque estou nervosa, mas porque simplesmente o interesse começa a faltar, tanto da minha parte como da tua.

O que quero dizer com tudo isto, é que os sentimentos já não são os mesmos. Disse-te no inicio que o meu amor por ti era como uma flor, que plantei e que iria cuidar. Até cheguei a imaginar que esta flor fosse crescer e florescer e dar frutos mas não.

Agora que estamos mais perto do fim, começo a aperceber-me que esta flor está a deixar cair as suas pétalas, e eu começo a achar que já está na hora de plantar outra flor e deixar  esta aqui a apodrecer.

PORSara Raposo
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...