Nuvem flutuante em alto mar…

Tu, a palavra que faz os meus ouvidos dançar ao som de uma melodia lenta e suave. Mas a tua pele rugosa, macia ao meu toque, é como se a esticasse num abrir e fechar de beijos.

A luz espalha-se, invade o meu espaço, salpica-se sobre a pureza dos meus lençóis enrolados na minha ruidosa cama por onde escaparam tantas fugas de beijos encandeadas de verdadeiro amor.

O sabor instalava-se para além dos lábios, o cheiro permanecia inteiramente em mim, e o sentimento entrava diretamente por entre aquelas palpitações atropeladas que se faziam sentir bem dentro de mim.

O meu coração grita lágrimas por todos os poros das artérias, mas eu continuo flutuando no imenso de uma vazia parede branca, ouvindo suavemente o barulho das ondas a acariciar cada grãozinho de areia.

A almofada recosta-se sobre mim, aconchega cada pesada pena sua, fecha as pontinhas e voa para as estrelas que pairam ténues sobre o céu cintilante, enquanto eu permaneço aqui a desejar que esta noite jamais tenha fim…