Nunca fui de meias palavras!!!

Nunca fui de meias palavras… até hoje!

Hoje  sou  uma  pessoa  de  palavras  pensadas…  palavras  que  não  ouso  pronunciar,  arrisco-me  a questionar quanto à sua definição… palavras… Deveria chamar apenas pensamentos? Não creio!

As palavras já foram ditas, já foram expressadas, simplesmente agora encontram-se silenciadas.

Meias palavras nunca entraram  no meu vocabulário, exceto no presente.  E  a culpa…  a culpa é do futuro.  A  sua  existência  colmata  todos  os  sons  que  os  meus  lábios  teimam  em  calar.  O  simples conhecimento do futuro cala-me. Cala todo o meu ser, e faz-me permanecer imóvel.

A vida é mesmo um emaranhado de mistérios, uma estranheza de acontecimentos…  e ai de mim partir à descoberta de tais respostas… de tais factos que justifiquem os meios.
O presente é tudo o que tenho, mas se calhar devia fazer  mais jus  ao seu significado, sem pensar no amanhã. Impossível  eu sei, ninguém  cala a existência do amanha.  E  saber que o amanha existe deveria por si só trazer felicidade.

E acredito que um dia traga… Mas amanhã… amanhã será mais um dia sem ele…  mais vinte e quatro horas da minha existência sem o calor do seu amor, sem o seu carinho ou as suas palavras que me acalmavam. Amanhã será mais um dia sem paz, apesar de saber que cada dia me aproximo mais dela.

Amanhã será mais uma rotina conhecida e um silêncio constrangedor. Tudo porque existe o amanhã.

E não posso quebrar o silêncio hoje.

Amo-o. De corpo e alma. E sei que o que sinto é definição de amor verdadeiro. Tudo que quero dizer, só o posso compensar a escrever. Escrever o que por si só não se descreve.

PORMaria Alves
Partilhar é cuidar!