Nossa sedução!

Saudades dos teus olhares, que me prendiam junto ao teu corpo no tempo em que suas mãos percorriam o meu corpo.

Saudades dos momentos de pura entrega, sentados em meio à multidão sem ter qualquer pessoa por perto.

Saudades de ter vontade de ti. Dos seus segredos, de ser o seu segredo. De ser sua incondicionalmente, seguindo as regras de um jogo sem regras.

Dessa história sem sentindo que só nós entendemos, e ficamos perdidos com ela.

Desse emaranhado de sentimentos sem base, tão sólido quanto uma rocha em meio a uma avalanche.

Saudades de me embriagar em teu corpo, sem ao menos te tocar. Saudades do escuro que tu iluminaste.

Este escuro que hoje me encontro sozinha, sem teu sorriso malicioso para iluminar o caminho para teu corpo.

Este corpo a qual eu pertencia, e que hoje só me resta uma lembrança que invade cada parte do meu corpo.

Que me faz sentir seu toque, sem que ao menos você pense em mim.

Saudades da nossa incompatibilidade que combinava, da nossa falta de sincronismo que transborda pelas caricias.

Aaah! Aquele seu cheiro de poder que exala do seu corpo, e que só eu sentia. Esse poder que me cativou e me afastou.

Nossas fantasias que seriam realizadas, e as que foram, e as que ainda serão. Pois você está tão distante de mim, sentado ao meu lado que embriaga meu corpo com desejo.

Desejo este que você levou….

Levou para longe, para um lugar que nunca vai poder carregar, pois esse desejo é incontrolável e só um jeito de dominar. Com aquele jeito que você me puxava para perto, me olhava…. E eu acordava deste sonho.

PORAna Freitas
Partilhar é cuidar!